Archive for the ‘Ensinamentos’ Category

A partir do coração

Sábado, Maio 30th, 2020

Jesus disse que onde está o nosso coração lá está o nosso tesouro, o nosso verdadeiro amor. O bem e mal brotam a partir do coração. Lá neste centro, somo o que somos e é neste centro, no meio das nossas dores e não sem eles, que acontece o encontro íntimo com Deus que nos liberta.

Não é fácil descer a esta profundeza sozinhos, precisamos de alguém que nos acompanhe nesta descida e que nos encoraje, nos momentos do desânimo. Por isso é importante sabermos, e crescer nesta certeza, que não estamos sozinhos, que temos muitos irmãos e irmãs que descem da mente ao coração para se encontrarem com Deus. Sim, é importante sentir que pertencemos à Igreja, que temos uma família, muitos irmãos e irmãs com os quais podemos partilhar, ajudar e sermos ajudados.

Por quê precisamos de ajuda?
Porque todos temos dificuldade nesta caminhada. Todos, de qualquer forma, fugimos, enfim, para evitar uma verdade amarga: ainda não nos conhecemos, que somos estranhos a nós mesmos. Para tomarmos consciência desta dolorosa verdade, basta ficarmos em silêncio por dois ou três minutos: a confusão dos pensamentos e dos desejos, as mágoas, os ressentimentos, as coisas que deveríamos ter feito, entre muitas outras coisas. Enfim, preferimos abandonar o silêncio e voltar ao trabalho ou qualquer outra atividade, que nos mantenha entretidos.

Essa é a parte mais dolorosa da nossa humanidade.

O coração é o centro do nosso ser. É lá que achamos os nossos pensamentos mais profundos, as novas inspirações que orientam as nossas ações. Lá para no fundo do coração sentimos as emoções mais profunda e brotam as decisões mais persistentes.
As decisões que brotam da nossa mente não têm duração, não primeiras dificuldade, desistimos, porque não têm raizes profunda dentro de nós. Muito pelo contrário o que brota do coração resiste a qualquer tempestade.

Infelizmente, é lá, no coração, onde ficamos mais alienados.

Descendo da mente para o coração entramos no santuário íntimo onde acontece a revelação de Deus. Onde a Palavra de Deus se torna vida em nós. O coração é o centro da vida espiritual. É no coração, neste lugar sagrado, onde acontece o encontro íntimo com Jesus, que transforma a nossa vida.

Qualquer actividade se revela ineficaz e todo o relacionamento humano torna-se tormentoso, quando falta a intimidade do coração.O verdadeiro relacionamento humano implica a capacidade de estar sós, de proteger o nosso santuário íntimo. Uma exposição descuidada, apressada e superficial é sempre prejudicial.

Somos como filhos pródigos, afastado-nos da casa paterna, com a ilusão de que teremos mais liberdade, assim é, procuremos para longe, nos afastamos e perdemos. O que procuramos para longe, na realidade, está bem perto de nós. Precisamos voltar para casa, para a nossa verdadeira casa, a Casa do Pai. Imitar Jesus, o Filho Amado, que é feliz de ficar em casa, porque tudo o que o Pai tem, é também dele. Usufruir desta beleza inefável.

«Em casa encontrarás um abrigo mais seguro, lá receberás o Amor, o Único que preenche teu coração; lá, em casa, finalmente encontrará descanso o teu coração inquieto!»

Aceitação humilde

Terça-feira, Maio 26th, 2020

Tiramos esta breve reflexão, dos escritos da Serva de Deus, Luisa Piccareta, Libro Del Cielo, (fotocópias em língua italiana)

Livro do Céu, vol. 4, n. 26, p. 48

A Aceitação. A Luisa Piccareta tinha o dom da ubiquação. Um dia, Jesus acompanhou-a e foram visitar uma alma em desespero.

Jesus pediu-lhe que falasse com ela para lhe fazer compreender quanto o mal que estava a fazer a si mesma.

Eis a tradução do italiano para o português:
“Com a luz que o próprio Jesus infundia na minha alma, eu disse-lhe:

A Aceitação é remédio mais sadio e eficaz para os momentos mais tristes da vida. Tu, com o teu desespero, em vez de tomar o medicamento, estás a tomar um veneno que mata a tua alma.

A aceitação o remédio mais oportuno contra todos os males, a atitude principal que nos torna mais nobres, que nos diviniza, que nos torna mais semelhantes ao Senhor, que tem o poder de transformar em doçura as amarguras da vida.

O que foi a vida de Jesus nesta terra senão um continuo conformar-se à Vontade do Pai. Vivia na terra mas estava constantemente unido ao Pai.

Da mesma forma, a alma humilde, se conforma à Vontade de Deus e está sempres unida ao Pai do Céu.

Não pode haver coisa mais desejável do esta: estar sempre unidos a Deus. Aquela alma, tocada por estas palavras, começou a acalmar-se. Seja tudo para a glória de Deus, e seja para sempre abençoado. (31-10-1900, pp. 46-48)

A oração contínua

Terça-feira, Maio 26th, 2020

“Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e o meu Pai o amará, e nós viremos e faremos nele a nossa morada. Quem não me ama, não guarda a minha palavra. E a palavra que escutais não é minha, mas do Pai que me enviou. Isso é o que vos disse enquanto estava convosco. Mas o Defensor, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará tudo e vos recordará tudo o que eu vos tenho dito.” (Jo 14, 23-29)

Eis alguma citação dos quadernas da Serva de Deus, Luisa Piccareta:

Dia 02 de Novembro de 1900 – n. 27, p. 49
27 – Permanece em Mim e encontrarás a verdadeira Paz e constante alegria. Porque dentro de Mim nada pode entrar a não ser alegria e paz. Quem permanece permanece navega no oceano de toda a alegria.

Mas quando esta alma se afastar de Mim, mesmo sem dar-se conta, só pelo facto de perceber as ofensas que me fazem, o quanto Eu fico amargurado com isso, faço-a participar das Minhas aflições, e ela fica perturbada.

Por isso tu, de tanto em tanto, esquece-te de tudo, vem habitar em Mim, vem saborear as verdadeiras Paz e Alegria, depois, sai para fora, volta à tua missão reparadora. (02-11-1900)

Dia 28 de Julho de 1902 – n. 138, p. 197

138 – Efeitos benéficos da oração continua.
Minha filha, retira-te, não desejares os males gravíssimos que existem no mundo. E ao dizer isso, o Senhor fez-me entrar num profundo recolhimento interior e repetiu diversas vezes: minha filha recomendo-te o espírito da oração continua. Se procurares sempre a oração, de conversar Comigo, com o coração, com a mente, com os lábios, ou também, com a simples intenção, a tua alma permanece bela diante de Mim, porque as notas do teu coração se harmonizam com as notas do Meu Coração; e Eu sinto-me tão atraído pelas almas que conversam Comigo. A estas almas manifesto a profundidade do Meu Amor Divino.

A estas almas eu lhe manifesto as obras as extra da Minha Humanidade, mas lhe manifesto, gradualmente alguma coisa das obras ad intra, isto é, as obras que a Divindade fazia na Minha humanidade. Não só, a oração contínua produz nas almas uma tão grande beleza que o demónio, atingido como como um raio, fica frustrado nas suas insídias com as quais quer prejudicar as almas. (P. 197)

Quem somos?

Sábado, Maio 23rd, 2020

Quem somos nós? Durante a nossa vida terrena, há uma questão que guia muitos dos nossos comportamentos: «Quem somos nos?» É verdade que raramente temos consciência dessa pergunta; contudo, vivemo‑la muito concretamente nas decisões do nosso dia‑a‑dia. A nossa maneira de viver depende daquilo que pensamos de nós próprios. É o que os psicólogos chamam de autoestima. Isto é da imagem que temos da nossa própria pessoa.
Artigo completo: Quem somos nós

O poder da LÍNGUA

Sexta-feira, Maio 8th, 2020

A língua tem poder. O livro dos Provérbio afirma: “A morte e a vida estão à mercê da língua; os que a amam comerão dos seus frutos” (Pv 18,21)

Na Carta de São Tiago (3,2) lemos: “Todos tropeçamos de muitas maneiras. Se alguém não tropeça no falar, tal homem é perfeito, sendo também capaz de dominar todo o seu corpo”.

Veja a importância das nossas palavras, pois se alguém não tropeça no falar, é perfeito.

O homem pode domar toda espécie de feras, aves, répteis e seres marinhos, mas nenhum dos homens é capaz de domar a língua. Na língua é contido um veneno mortífero, por isso, é importante reflectir e orar para não pecarmos com a lingua.

São Tiago dedica os capítulos 3 e 4 e da sua carta para falar dos males que podem causar as nossas palavras. As palavras ferem, matam, magoam, semeiam dúvidas, fazem pecar e geram ódio. Uma palavra faz doer mais dos que qualquer dor física.

Ele diz: “Se alguém não peca pela palavra, esse é um homem perfeito, capaz também de dominar todo o seu corpo. Quando pomos um freio na boca do cavalo para que nos obedeça, dirigimos todo o seu corpo.

Vede também os barcos: por grandes que sejam e fustigados por ventos impetuosos, são dirigidos com um pequeno leme para onde quer a vontade do piloto. Assim também a língua é um pequeno membro, e gloria-se de grandes coisas.

Vede como um pequeno fogo pode incendiar uma grande floresta! Assim também a língua é fogo, é um mundo de iniquidade; entre os nossos membros, é ela que contamina todo o corpo e, inflamada pelo Inferno, incendeia o curso da nossa existência.

Todas as espécies de animais selvagens, de aves, de répteis e de animais do mar se podem domar e têm sido domadas pelo homem.
– A língua, pelo contrário, ninguém a pode dominar: é um mal incontrolável, carregado de veneno mortal.
– Com ela bendizemos quem é Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procedem a bênção e a maldição. (Tiago 3, 2-10)

Se acolhemos a sabedoria de Deus e nos consideramos pessoas entendidas – diz São Tiago – devemos manifestá-lo com o nosso bom comportamento. A boca fala daquilo que temos no coração: “se tendes no vosso coração inveja, amargura e espírito de contendas, estamos a pensar segundo o mundo e não segundo Deus. (cf. v. 13-15)

Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é pensamento terreno, da natureza corrompida e diabólica. Pois, onde há inveja e espírito faccioso também há perturbação e todo o género de obras más. (cf. v. 16)
– Mas a sabedoria que vem do alto é, em primeiro lugar, pura; depois, é pacífica, indulgente, dócil, cheia de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem hipocrisia; e é com a paz que uma colheita de justiça é semeada pelos obreiros da paz.

Cap. 4 – A Origem das discórdias
De onde vêm as guerras e as lutas que há entre vós? Não vêm precisamente das vossas paixões que se servem dos vossos membros para fazer a guerra? (v. 1)
4Não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Portanto, quem quiser ser amigo deste mundo torna-se inimigo de Deus! 5Ou pensais que a Escritura diz em vão: O Espírito que habita em nós ama-nos com ciúme? 6No entanto, a graça que Ele dá é mais abundante, pelo que diz:
Deus opõe-se aos soberbos,
mas dá a sua graça aos humildes.
7Submetei-vos, portanto, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. 8Aproximai-vos de Deus e Ele aproximar-se-á de vós. Lavai as mãos, pecadores, e purificai os vossos corações, ó gente de alma dividida. 9Reconhecei a vossa miséria, lamentai-vos e chorai; que o vosso riso se converta em pranto e a vossa alegria em tristeza. 10Humilhai-vos na presença do Senhor, e Ele vos exaltará.
11Não faleis mal uns dos outros, irmãos. Quem fala mal de um irmão e o julga, está a falar mal da lei e a julgá-la. Ora, se tu julgas a lei, já não és cumpridor da lei, mas seu juiz. 12Há um só legislador e juiz, aquele que pode salvar e condenar. Mas quem és tu, para julgar o teu próximo?

O mundo não é maternal

Sexta-feira, Maio 8th, 2020

O MUNDO NÃO É MATERNAL*

É bom ter mãe quando se é criança, e também é bom quando se é adulto. Quando se é adolescente a gente pensa que viveria melhor sem ela, mas é um erro de avaliação.

Mãe é bom em qualquer idade. Sem ela, ficamos órfãos de tudo, já que o mundo lá fora não é nem um pouco maternal connosco.

O mundo não se importa se estamos desamparado e estamos a passar fome. O mundo não importa se vaguemos de noite pela rua, não se preocupa se estamos acompanhados por maus companheiros.

O mundo quer defender o que é seu, o que lhe pertence, não se preocupa com os nossos problemas.

O mundo se aproveita daquilo que temos, que que a gente gaste, quer compremos o apartamento, que tenhamos cada vez mais, não se importa se ficamos endividados.
Quer que a gente ande na moda, que troque de carro, que tenha uma boa aparência, não se importa que estoure o nosso cartão de crédito.

O que importa é a aparência, mas não se importa com o nosso banho, os nossos dentes, os nossos ouvidos, com o nosso corpo.

O mundo não se importa com a nossa pureza e honestidade: quer que a gente se drogue, que a gente fume, que a gente beba.

O mundo tem um olhar superficial. Não detecta nossa tristeza, com os nossos medos, com o nosso cansaço e desânimo. O que o mundo quer é que sejamos lindos, magros, como se fossemos objetos de decoração do planeta.

O mundo não tira nossa febre, não penteia nosso cabelo, não oferece um pedaço de bolo feito em casa.

O mundo quer nosso voto, mas não quer atender nossas necessidades. O mundo, quando não concorda com a gente, nos pune, nos rotula, nos exclui.

O mundo não tem doçura, não tem paciência, não nos escuta.

O mundo quer saber o que temos, pergunta quantos eletrodomésticos temos em casa e qual é o nosso grau de instrução, mas não sabe nada dos nossos medos de infância, das nossas notas no colégio, de como foi duro arranjar o primeiro emprego.

Mãe é de outro mundo. O mundo não a compreende, ela é incorreta: exclusivista, parcial, metida, brigona, insistente, dramática.

Mas a mãe sofre no lugar da gente, se preocupa com detalhes e tenta adivinhar todas as nossas vontades, enquanto que o mundo nos exige eficiência máxima, seleciona os mais bem dotados e cobra caro pelo seu tempo. Mãe é de graça.

https://www.facebook.com/CronicasDeMarthaMedeiros

Orar pelas almas do Purgatório

Terça-feira, Abril 21st, 2020

O Catecismo da Igreja Católica fala do Purgatório (1030-1032). A palavra “Purgatório” não se encontra na Sagrada Escritura, mas indica o estado de purificação das almas depois da morte. O Povo de Israel costumava rezar e oferecer sacrifícios de expiação dos pecados dos que tinham morrido (2Mac 12,46). Esta tradição continuou normalmente na Igreja. O facto de que a Sagrada Escritura quase não fala deste estado de purificação depois da morte, é porque nunca e ninguém duvidou desta oportunidade que a Misericórdia de Deus oferece às almas que precisam de purificação. Artigo completo: O Purgatório

DUAS FORMAS DE VIVER

Quarta-feira, Abril 24th, 2019

VIVER SEGUNDO O ESPÍRITO E NÃO SEGUNDO A CARNE
O Apóstolo São Paulo, exortava aos cristãos e viver “segundo o Espírito” e a não satisfazer os desejos mundanos: «Mas eu digo-vos: caminhai no Espírito, e não realizareis os apetites carnais. Porque a carne deseja o que é contrário ao Espírito, e o Espírito, o que é contrário à carne; são, de facto, realidades que estão em conflito uma com a outra, de tal modo que aquilo que quereis, não o fazeis». (Gl, 5, 16-17)
Ver o artigo completo: Duas formas de viver

1 – A partir do Interior

Terça-feira, Maio 22nd, 2018

Há gente que pensa que a libertação acontece por intervenção de alguém: magos, bruxas, curandeiras,… mas vamos ver o que diz Jesus, o Mestre dos Mestres. Ele diz: “O Reino de Deus chegou, convertei-vos e acreditai na Boa Nova”; “Vigiai e orai, para não cair na tentação”; “há certos demónios que só se vencem com o jejum e a oração”. Jesus fala de conversão, de mudança de mente e de coração. Convida a despertar, perseverar na oração, fazer penitência.

Se estás doente ou tens distúrbios de ordem espiritual não procures remedio no ocultismo: bruxas , curandeiros … se fostes nesses lugares, se tens confiado nos poderes ocultos, se tens contigo objetos supersticiosos, sê valente, faz um corte: deita tudo fora, para o lixo, desliga-te disso, e segue o caminho de Jesus. Ele é o único que tem poder de te curar e libertar! 
 
Foi por ignorância que seguistes caminhos errados, mas agora, confia em Jesus. Que seja Ele o Teu Senhor, o Teu Deus e Salvador. Se ainda não a tens, compra uma Bíblia. Ela contém a  Palavra de Deus. Nela encontrarás as palavras da verdade, as palavras que te libertam, as palavras de vida e de vida eterna, as palavras que te darão a vitória contra os ataques de Satanás. Não é possível agora explicar-te a importância da Bíblia, mas aceita a seguinte afirmação: se não combateres as palavras do mundo com a Palavra de Deus, não conseguirás vencer esta batalha. 

Toda a Bíblia fala de conversão: O Profeta Ezequiel (18, 27-28) diz claramente: “Quando o justo se afastar da justiça, praticar o mal e vier a morrer, morrerá por causa do mal cometido. Quando o pecador se afastar do mal que tiver realizado, praticar o direito e a justiça, salvará a sua vida. Se abrir os seus olhos e renunciar às faltas que tiver cometido, há-de viver e não morrerá”. (Ez 18,27-28)

O Salmo 24 (4-5.6-7.8-9) é a oração de um fiel que procura a Deus e a Sua Vontade: Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos, ensinai-me as vossas veredas. Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me, porque Vós sois Deus, meu Salvador: em Vós espero noite e dia. 

Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdias e das vossas graças que são eternas. Não recordeis as minhas faltas e os pecados da minha juventude. Lembrai-Vos de mim segundo a vossa misericórdia, tratai-me segundo a vossa bondade, Senhor. 
O Senhor é bom e reto, ensina o caminho aos pecadores. 
Orienta os humildes na justiça e dá-lhes a conhecer os seus caminhos.

Por isso, se queres ficar curado, converte-te, cuida da tua vida interior, da oração, corrige os maus hábito, põe em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça e tudo o resto te será concedido como um dom de amor. Estás atento, desperta, persevera na oração, não permitas ao maligno que deturpe a tua tua identidade de filho de Deus e de herdeiro da vida eterna.