Padre Leone Orlando

Padre Leo cs
Padre Leo cs

Sou conhecido por Padre Leo. Nasci numa aldeia do sul da Itália, Bova Marina, terra marcada pela emigração. Aos 14 anos deixei a minha terra e fui trabalhar para o norte da Itália, com a família de tios maternos.  Aos 17 anos, conheci o grupo de jovens da minha paróquia, onde encontrei o Jesus vivo, ressuscitado, que transformou a minha vida. Aos 20 anos foi para serviço militar. Aos 22 anos ingressei no Seminário Diocesano de Milão. Era o dia 23 de Setembro de 1977. Em 1982, ainda seminarista, ingressei na Congregação dos Missionários Scalabrinianos. Fiz a minha profissão perpétua dos votos religiosos em 9 de Junho de 1985 e fui ordenado sacerdote em 23 de Junho de 1990.

A minha primeira destinação foi em Portugal, na Paróquia de Amora, Seixal. Exerci a função de vigário paroquial, sendo pároco o Padre Pio Fantinato. Em 1997, foi destinado ao Luxemburgo, onde acompanhei algumas comunidades portuguesas. Em 2000 voltei para a paróquia de Amora, (o bom filho à casa volta!), onde continuei a função de vigário paroquial, sendo pároco o Padre Pedro Granzotto. Foram anos de intenso trabalho pastoral em que me senti realizado como sacerdote e gozei sempre da estima dos meus confrades e da comunidade paroquial.

No ano de 2006 comecei um trabalho de atendimento e de acompanhamento espiritual no Seminário Scalabrini dos Foros de Amora. E ao mesmo tempo a Hora Santa da Divina Misericórdia, todas as sextas-feiras às 15h, atualmente continua na Igreja Scalabrini. Em 2015 celebrei os meu 25º aniversário de sacerdócio e em 2020 o trigésimo aniversário.

Louvo e agradeço o Senhor por me ter escolhido, chamado, enviado e acompanhado, por Ele ter confiado em e atuado em mim, por me ter tantas vezes perdoado. Agradeço a Nossa Senhora que me protegeu. Agradeço meus pais, confrades, e todos aqueles que me ajudaram. Agradeço a todos por terem partilhado comigo a vossa alegria, estima e amizade e, comigo, ter louvado ao Senhor que faz maravilhas.

O sentimento que mais me domina neste momento é o AGRADECIMENTO:
– Agradeço, em primeiro lugar, ao Senhor Jesus que me chamou,
– Agradeço a Nossa Senhora que me acolheu como seu filho predilecto.
– Agradeço ao meu Pároco Padre Sandro que me ajudou no percurso de discernimento vocacional, nos longos anos como seminarista até ao sacerdócio.
– Agradeço a tantos outros sacerdotes que me encorajaram e me ajudaram a crescer,
– Agradeço a muitas pessoas que me acompanharam e ainda hoje me acompanham em silenciosa oração, particularmente a comunidade monástica de Santo Ambrósio.
– Um agradecimento especial vai para os meus pais que Deus tem,
– e à Congregação dos Missionários Scalabrinianos.

Com muita estima e amizade
recebam agora, todos e cada um,
a minha BÊNÇÃO SACERDOTAL +

Padre Leone Orlando,
Missionário Scalabriniano
e Vigário Paroquial de Amora

Deixe uma resposta