João Batista Scalabrini será proclamado Santo

Nós, os Missionários Scalabrinianos, que trabalhamos em Portugal desde 1971, comunicamos com grande alegria que o nosso fundador, o Bem-aventurado João Batista Scalabrini, será venerado como santo. A data da cerimônia de canonização será comunicada pelo Papa Francisco.

Como Missionários Scalabrinianos sentimo-nos ainda mais responsáveis em manter vivo o carisma do nosso fundador ao serviço dos migrantes, contruindo entre eles a fraternidade, valorizando sua singularidade e diversidade. Agora os migrantes têm um pai e um patrono a quem recorrer nos momentos difíceis, para que ele possa implorar a proteção de Deus e dirija seu olhar de predileção sobre os pequenos e os marginalizados. Preparemo-nos para o grande evento e que o Senhor nos torne dignos dessa graça para sermos instrumentos dóceis a serviço da comunhão daqueles que estão longe e dispersos.

Oh, Bem-aventurado João Batista Scalabrini,
com o coração de Bispo e fervor de Apóstolo,
tu te fizeste tudo a todos.
Escutaste o clamor dos migrantes,
falaste em seu nome, defendeste os seus direitos.
A Eucaristia foi o teu sustento, A Cruz o teu refujo,
Maria, Mãe da igreja, o teu conforto.
Por tua intercessão,
Deus, que Pai, Filho e Espírito Santo,
conceda a paz a toda a humanidade,
proteja os que cruzam mares e fronteiras,
apoiados na esperança.
Abençoe-nos a nós a aos nossos familiares
e concede-nos a graça que confiantes te pedimos.
Amém

João Batista Scalabrini, nasceu em Fino Mornasco (Como, Italia) em 8 de Julho de 1839. Terceiro filho de Luís e Colomba Scalabrini. Recebeu de seus pais una sólida educação cristã. A sua espiritualidade inspirou-se naquela de São Carlos Borromeu: o Crucifixo, a Eucaristia e a devoção à Virgem Maria. Foi o fundador dos Missionários e das Missionárias de São Carlos (Scalabrinianos) para os Migrantes.

Visite a página dos
Missionários Scalabrinianos
Os artigos são em língua portuguesa.

Salmo 119 (118) Louvor da Lei divina

É o salmo mais cumprido, contém 22 estrofes com oito versos cada uma e todos os versos da mesma estrofe começam pela mesma letra do alfabeto hebraico. O tema é o louvor da lei divina, abarcando toda a revelação de Deus, o que há de mais sagrado e louvável no povo judaico. A lei não é apenas um código de regras, mas a manifestação do amor de Deus junto do seu povo. Há outros salmos desenvolvem o mesmo tema, são os seguintes: 18; 25; 33; 78; 89; 93; 94; 99; 103; 105; 111; 112; 147; 148.

Salmo-119,1-8-felizes-os-que-seguem-a-lei-do-senhor
Salmo-119,9-16-guardo-tua-palavra-no-coraçao
Salmo-119,17-24-abre-meus-olhos-para-que-eu-veja
Salmo-119,25-32-escolhi-o-caminho-da-verdade
Salmo-119,33-40-da-me-entendimento-para-cumprir-a-tua-lei
Salmo-119,41-48-dexa-sobre-mim-a-tua-bondade
Salmo-119,49-56-a-tua-palavra-é-a-minha-esperança
Salmo-119,57-64-a-minha-herança-é-a-tua-palavra
Salmo-119,65-72-eu-confio-na-tua-palavra
Salmo-119,73-80-eu-espero-na-tua-palavra
Salmo-119,81-88-eu-suspiro-pela-tua-salvaaao
Salmo-119,89-96-a-tua-palavra-permanece-eternamente
Salmo-119,97-104-quanto-amo-a-tua-lei-senhor
Salmo-119,105-112-a-tua-palavra-é-a-minha-luz
Salmo-119,113-120-eu-amo-a-tua-lei-senhor
Salmo-119121-128-118-eu-sou-o-teu-servo-senhor
Salmo-119,129-136-sao-admiraveis-os-teus-preceitos-senhor
Salmo-119,137-144-sao-rectos-os-teus-juizos-senhor
Salmo-119,145-152-de-todo-o-coraçao-te-invoco-senhor
Salmo-119,153-160-da-me-vida-segundo-a-tua-promessa
salmo-119,161-168-118-a-vos-senhor-a-minha-suplica
Salmo-119,169-176-ensina-me-segundo-a-tua-palavra

Pelo mistério da encarnação, Jesus Cristo, a Palavra de Deus, veio habitar entre nós. Ele não veio para abolir a Lei e os profetas, mas para lhe dar cumprimento (Mt 5,17-18). Ele disse: «meu alimento é a vontade do Pai» (Jo 6,39-40), pois Ele veio para cumprir a vontade salvadora do Pai. O próprio Jesus orou com as palavras deste salmo, abandonando-se completamente ao Amor misericordioso do Pai. E a Sua oração foi atendida com a Ressurreição e Ascenção ao Céu, onde Ele vive e reina eternamente e há-de voltar glorioso para julgar os vivos e os mortos. Com este salmo, Jesus ensina e juda a humanidade desobediente a obediencia à vontade do Pai, não por força, mas por amor.