Posts Tagged ‘Vida espiritual’

A alma não tem idade

Quinta-feira, Junho 17th, 2010

A ALMA NÃO TEM IDADE
Dentro de nós habita uma alma imortal. O corpo, com o passar dos anos, envelhece, a alma não. Se cuidarmos dela, permanecemos sempre jovens. O corpo envelhece e se torna decrépito, mas a alma não tem idade, antes rejuvenesce mais e mais, até chegar à juventude eterna no Céu. Tenha-mo-lo bem presente, a alma não tem idade, é sempre jovem. A velhice afecta o nosso corpo, não a alma. Ela não envelhece, com o passar do tempo, aperfeiçoa-se. Depende de cada um de nós mantê-la sempre viva e desperta. Quanto mais vivemos, mas rica ela se torna e tem mais capacidade de remover os obstáculos. Por isso mantemos sempre viva e atenta a nossa alma para que ela se torne o leme do nosso corpo até ao último instante da nossa vida. Prepare-mo-nos para a juventude eterna do Céu!

Crescer: a tarefa mais importante

Quinta-feira, Junho 17th, 2010

CRESCER: EIS A TAREFA DA NOSSA VIDA
O nosso futuro não é este o aquele, não é o dinheiro e o poder, nem sequer a sabedoria ou o êxito profissional: o nosso futuro é o que somos. Isto implica o difícil e perigoso caminho de crescer, amadurecer como pessoas. Crescer mais e mais, tornar-se mais maduros: eis a grande tarefa da nossa vida. Se alguém amadurecer, cresce em responsabilidade e, com isso, entra num difícil e perigoso caminho que lhe exige cada vez mais. Mas é neste caminho, espiritualmente falando, o grande rumo da nossa existência, pois o que, de verdade, importa, é crescer em humanidade. Mas o que significa crescer? Crescer é desprender-se do supérfluo, saber morrer pouco a pouco, deixando frutos duradouros. Crescer é tomar a decisão de ser realistas, mais responsáveis, mais compreensivos e tolerantes, sempre conscientes das nossas limitações e qualidades. Crescer é tornar-se aquele filho de Deus muito amado, que nunca morre, e resplandece eternamente.

A vida: a suma das nossas decisões

Quinta-feira, Junho 17th, 2010

A VIDA É A SUMA DAS NOSSAS DECISÕES
É uma verdade muito acertada que nos permite de lutar contra aquela visão fatalista da vida, segundo a qual tudo está determinado de antemão e nada podemos fazer para mudar o nosso destino. Através de decisões livres e valentes temos a capacidade de orientar a nossa vida. O timone da nossa vida está em nossas mãos. A vida não é a suma de fatalidades que acontecem, mas sim o resultado das nossas decisões. Por isso, a vida é um dom maravilhoso que pode dar frutos abundantes através de decisões positivas. Assim crescemos em humanidade e servimos melhor os outros.

Um risco: morrer sem ter vivido

Quinta-feira, Junho 17th, 2010

NÃO MORRAMOS SEM TER VIVIDO
A coisa pior que pode acontecer a um ser humano é morrer sem ter vivido. Por isso, aproveitemos o tempo para viver intensamente, na tensão constante de nos tornarmos mais humanos e de nos abrirmos aos demais para os fazermos felizes. A morte deve ser um estímulo para apreciar o dom da vida e partilha-la com os outros.

A Pessoa: uma tentativa quotidiana

Quinta-feira, Junho 17th, 2010

A pessoa humana não está feita, faz-se constantemente. Não é um ser quieto, está aberto para o futuro: é uma constante tentativa de auto realização, uma obra nunca acabada, um ser que luta diariamente para atingir a sua perfeição. Crescer, tentar ser nós próprios, eis a grande tarefa da nossa vida. O facto de nunca estarmos satisfeitos é o sinal mais claro da necessidade de crescermos, de nos tornarmos mais humanos. Isto exige um recomeçar, todos os dias, uma luta constante para alcançarmos a nossa maturidade humana e espiritual. Este desejo de superação enobrece a pessoa e torna-a capaz de alcançar novos objectivos de maturidade.

Maria: dizer “sim” a Deus

Quinta-feira, Novembro 13th, 2008

Não há outro ser humano em que podemos ver o que significa “receber o amor de Deus” em plenitude como em Maria. Este Deus “que tanto amou o mundo até dar-lhe o Seu Filho”. A presença do Espírito Santo o é o segredo íntimo de Maria. Por isso, o Anjo chamou-a «cheia de graça»: Maria-dizer-sim-a-Deus

Orar com os Salmos

Domingo, Novembro 9th, 2008

O Antigo Testamento contém numerosas orações. O Livro dos Salmos recolhe 150 orações, obra-prima de oração, sempre actual, porque são orações insiradas pelo Espírito Santo e profundamente inseridas na vida do Povo de Deus. Eles ajuda-nos a louvar a Deus pelas maravilhas da criação e pelas obra admirável da salvação. Os Salmos são Palavra de Deus rezada e cantada, fazem memória das promessas de Deus já realizadas e alimentam a esperança da vinda do Messias, que as cumpe definitivamente. Jesus orou com os Salmos, tal como testemunham os Evangelhos, e continuam na oração da Sua Igreja. Se a Bíblia, no seu conjunto, “fala” das obras que Deus; os Salmos Lhe “cantam” os louvores. Em vário livros podemos encontrar orações belissimas, mas os Salmos nunca perdem actualidade porque são inspirados pelo Espírito Santo, Ele o Mestre da oração, por isso, os Salmos, ainda hoje, não cessam de nos ensinar a orar. (Cf. Catecismo da Igreja Católica, nº 2585 ss.)

Escolhi alguns Salmos que particularmente gosto, fazendo pequenas apresentações pps, com imagens evocativas muito bonitas, que ajudam a orar melhor, tenho a certeza, que os meus dois visitantes irão gostar imenso. Que o Senhor abençoe a todos aqueles que os irão utilizar + em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo,
– Amém, Louvado seja Deus, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, na comunhão do Espírito Santo.

Salmo 1: Os dois caminhos
Salmo 4: quem nos fara felizes
Salmo 8: Hino a Deus Criador do homem
Salmo 9: Deus protetor dos humildes
Salmo 15 (14): Quem habitará na Tua Casa
Salmo 16 (15): Deus meu refugio e fonte de vida
Salmo 19 (18): Os céus proclamam a glória de Deus
Salmo 46 (45): Deus nosso refugio e nossa força
Salmo 51 (50): Tem compaixão de mim, Senhor
Salmo 66 (65): Aclamai ao Senhor, Terra inteira
Salmo 71 (70): O Senhor é a minha esperança
Salmo-91-90-Deus-é-meu-amparo
Salmo 92 (91): É bom louvar-Te, Senhor
Salmo 103 (102): Bendiz ó minha alma, o Senhor
Salmo 130 (129): Do profundo abismo clamo por Vós, Senhor
Salmo 131 (130): Não se eleva soberbo, meu coração, Senhor
Salmo 138 (137): Senhor, eu Vos agradeço
Salmo 139 (138): Senhor, Tu me conheces
Salmo 145 (144): Exaltarei a Tua grandeza, Senhor