Agradecer: uma virtude rara

O Catecismo da Igreja Católica diz que o agradecimento caracteriza a oração da Igreja (2637) porque a Eucaristia é essencialmente acção de graças. Com oração de súplica podemos pedir ao Senhor que nos ajude em qualquer acontecimento ou necessidade, a mesma cosa acontece com a acção de graças. Podemos transformar tudo em acção de graças. São Paulo quase sempre inicia e termina as suas cartas com um agradecendo ao Senhor e convidando os cristãos a agradecer «em todas as circunstâncias, pois é esta a vontade de Deus, em Cristo Jesus» (1 Ts 5, 18); «perseverai na oração; sede, por meio dela, vigilantes em acções de graças» (Cl 4,2)

A gratidão é uma virtude rara. Temos que apreender a agradecer, pois nosso egoísmo e orgulho obscurecem a nossa consciência, vivemos como se tudo nos é devido, ficamos presos na mentalidade consumista que domina a nossa sociedade, queremos cada vez mais, nunca ficamos satisfeitos e, por isso, nunca agradecemos. Recebemos muito e há sempre alguma coisa que nos falta. Vivemos fechados dentro das paredes da nossa autos suficiência e nunca agradecemos.

Esquecemos que recebemos tudo recebemos, nada é nosso! Tudo o que somos e temos, tudo recebemos das Suas mãos. Tudo recebemos, através das mãos dos nossos pais, da nossa família, e de tantas outras pessoas que se sacrificaram por nós. A ingratidão mantém-nos fechados dentro das paredes do nosso egoísmo e nunca ficamos satisfeitos.

Reflictamos agora, basta só um simples exemplo: como é que pagamos aos nossos pais por nos terem dado a vida, por nos terem alimentado, por terem providenciado os nossos estudos e por se terem sacrificado por nós para que nada nos faltasse? O senso do direito e da posse faz-nos perder a consciência dos bens recebidos e da necessidade de agradecer.

Lutamos pelos nossos direitos e nos esquecemos dos nossos deveres e, particularmente da necessidade de agradecer. Será que agradecemos às pessoas que nos ajudaram, que nos fizeram o bem? Será que nos colocamos de joelhos diante do Senhor para lhe agradecer o dom da vida, da saúde, da família e de todos os bens que recebem continuamente das Suas mãos?

Jesus ensinou a agradecer com a história dos dez leprosos que Ele curou. E nós ficamos indignados porque todos foram curados, mas só um deles voltou atrás para Lhe agradecer. E nós, que fomos tantas vezes abençoados por Deus, porque é que não voltamos para Lhe agradecer?

Tudo é dom de Deus. Tudo recebemos das Suas mãos, mesmo aquilo que ganhamos com o nosso trabalho ou que compramos com o nosso dinheiro. Esquecemos que foi Deus que lhe deu saúde, a inteligência e força para o conseguir. Esquecemos de que tudo é dom de Deus. A vida é dom de Deus. Tudo o que temos é dom de Deus, mesmo quando o ganhamos com o nosso trabalho. Quando reconhecemos tudo isso, a nossa vida muda, tornamo-nos humildes e solidários.

Nós Vos louvamos, Pai, com todas as Vossas criaturas, que saíram da Vossa mão poderosa. São vossas e estão repletas da Vossa presença e da Vossa ternura. Louvado sejais! (Papa Francisco)

Comments are closed.