Humildade e oração

O Catecismos da Igreja Católica (CIC) dedica acerca de 80 páginas à oração (números de 2559 a 2865)

O Que é a oração? “Para mim a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado para o Céu, é um grito de gratidão e de amor, tanto no meio da tribulação como no meio da alegria. (Santa Teresinha do Menino Jesus, Manuscrito C, 25r)

Jesus ensinou a humildade na oração com a parábola do fariseu e do publicano (Lc 18, 9-14).
– O fariseu falou a Deus a partir do seu coração orgulhoso: “Ó Deus, eu te agradeço-te porque não sou como os outros, ladrões, injustos e adúlteros, nem tão pecador como este cobrador de impostos”
– O publicano falou a Deus a partir de um coração humilde: “ficou à distância e nem sequer se atrevia a levantar os olhos para o céu; apenas batia com a mão no peito e dizia: “Ó meu Deus, tem compaixão de mim, que sou pecador!”

«A oração é a elevação da alma para Deus ou um pedido feito a Deus». O Senhor ensina a pedir ajuda a Deus em todas as nossas necessidades. Mas, de onde é que falamos a Deus quando oramos? – Falamos das alturas do nosso orgulho e da nossa própria vontade ou das «profundezas» do (Sl 130, 1) do nosso coração humilde?
– A oração é sempre humilde, Aquele que se humilha é que é elevado (Lc 18,14). A humildade é o fundamento da oração. «Não sabemos oque havemos de pedir para rezarmos como deve ser» (Rm 8, 26). A humildade é a disposição necessária para receber gratuitamente o dom da oração. Ser humilde é reconhecer que a nossa vida depende de Deus, que não podemos viver sem Ele, como dizia Santo Agostinho “o homem é um mendigo de Deus (cf. CIC 2559).

Comments are closed.