2 – Conversão Interior

22 de Maio de 2018 Não Por Pe Leo Orlando

A partir do interior. 
Há pessoas que pensam que a libertação acontece por intervenção de alguém: magos, bruxas, curandeiras,… mas vamos ver o que diz Jesus, o Mestre dos Mestres. Ele diz: “O Reino de Deus chegou, convertei-vos e acreditai na Boa Nova”; “Vigiai e orai, para não cair na tentação”; “há certos demónios que só se vencem com o jejum e a oração”. Jesus fala de conversão interior: de mudança de mente e de coração. Convida a despertar, perseverar na oração e fazer penitência. Convida-nos a dar atenção aos nossos pensamentos, aos sentimentos e desejos para que sejam conformes à Vontade de Deus.

* Os distúrbios espirituais, os fracassos, as doenças e as dificuldades da vida são providenciais porque é mesmo nesses momentos que as pessoas procuram ajuda e retomam o caminho da fé. Não é fácil compreender os sofrimentos e os tormentos espirituais, só os conhece quem passa por eles, mas alguns só querem resolver o problema, isto é, ser curados e continuar a viver no pecado, longe de Deus. O Reino de Deus exige conversão. Jesus não propões simplesmente a cura de algumas doenças mas sim a salvação eterna. Satanás quer afastar os homens de Deus, quer levá-los para o Inferno. Jesus quer salva-los, leva-los para o Céu. Jesus não propões soluções fáceis, chama à conversão: “O Reino de Deus chegou”, portanto, “convertei-vos e acreditai na Boa Nova”; “Vigiai e orai, para não cairdes na tentação”; “há certos demónios que só se vencem com o jejum e a oração”. Jesus fala de conversão interior, de mudança de mente e de coração. Convida a despertar, perseverar na oração e a fazer penitência.

Se estás doente ou tens distúrbios de ordem espiritual não procures remédio longe de Jesus, fora da Igreja, no ocultismo: bruxas , curandeiros … se foste num desses lugares, se tens confiado nos poderes ocultos, se tens contigo objetos supersticiosos, sê valente, faz um corte: deita tudo fora, para o lixo, desliga-te disso, e segue o caminho de Jesus. Ele é o único que tem poder de te curar e libertar!

O Apóstolo São Paulo, na Carta aos Filipenses, diz-nos:
“Não vos inquieteis com coisa alguma, mas em todas as circuntâncias apresentai a Deus as vossas preocupações com orações, súplicas e agradecimentos. E a Paz de Deus guardará os vossos corações e pensamentos em Jesus Cristo”. E continua: “Tudo o que é verdadeiro e nobre, tudo o que é justo e puro, tudo o que é amável e digno de louvor, é o que deveis pensar”. (Fil 4,6-7)

“Não façais nada por rivalidade nem por vanglória; mas, com humildade, considerai os outros superiores a vós mesmos, sem olhar cada um aos seus próprios interesses, mas aos interesses dos outros. Tende em vós os mesmos sentimentos que havia em Cristo Jesus. Ele, que era de condição divina, não Se valeu da sua igualdade com Deus, mas aniquilou-Se a Si próprio.” (Fil 2,1-4)

E na Carta aos Romanos,lemos:
“Assim como entregastes os vossos membros como escravos da impureza e da desordem que conduzem à revolta contra Deus; colocai agora os vossos membros ao serviço da justiça que conduz à santidade; de facto, o pecado leva à morte. Mas agora, livres do pecado, vos tornastes servos de Deus, porque deveis dar frutos de santidade, cujo fim é a vida eterna. O pecado produz morte, mas a graça, que é dom gratuito de Deus, leva à vida eterna”. (Rom 6,19-23)

E na Carta aos Colossenses, São Paulo exorta-nos:
Se ressuscitastes com Cristo, aspirai às coisas do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus. Afeiçoai-vos às coisas do alto e não às da terra. Porque vós morrestes para o mundo e a vossa vida agora está escondida com Cristo em Deus. E quando Cristo, que é a vossa vida, Se manifestar, também vós vos manifestareis com Ele na glória. Portanto, fazei morrer o que em vós é terreno: imoralidade, impureza, paixões, maus desejos e avareza, que é uma idolatria. Por causa destes vícios é que vem a ira de Deus sobre os rebeldes. Vós também vos comportáveis da mesma forma, quando vivíeis entre eles. Mas agora, afastai de vós tudo o que é cólera, irritação, malícia, insulto, linguagem torpe. Não mintais uns aos outros, vós que vos despojastes do homem velho com as suas acções e vos revestistes do homem novo, que, para alcançar a verdadeira sabedoria, assim a vossa vida se vai renovando à imagem do seu Criador. (Col 3,1-11)

* Converter-se é seguir os Seus ensinamentos, a Sua Palavra que é Palavra de Vida e de vida eterna. É imitar Jesus, a sua maneira de viver. Ele, passou por este mundo fazendo o bem a todos, curando e libertando todos aqueles que eram oprimidos pelo demónio.

* A converter-se é uma grande mudança de vida. É amar como Jesus amou, tornando-se servidor de todos e deixou-nos o mandamento do amor: ”Dou-vos um mandamento novo: que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei. Disto conhecerão que sois Meus discípulos: se vos amardes uns aos outros”. (Jo 13,34-35)  

* A converter-se é deixar de viver segundo o mundo e viver segundo Deus. Deus é Pai, ama-te, em Jesus fez de ti um Seu filho. Deixa de viver segundo o mundo, começa a viver segundo Deus, como Seu filho, um filho muito amado. Deixa a vida materialista e começa a viver guiado pelo Espírito Santo, a partir do interior: “Sois filhos de Deus, pois Deus enviou aos nossos corações o Espírito do Seu Filho, que clama: Abbá, Pai”. (Gal 3,6) 

«É preciso renascer do Alto» 
* São as palavras que Jesus disse a Nicodemos.  O homem quando nasce é “carne”, isto é, uma criatura humana; por ele deve  “renascer”, isto é, nascer de novo, nascer pela água e pelo Espírito Santo, uma geração espiritual. Se fostes Baptizado, este renascimento espiritual aconteceu também para ti: és filho de Deus. Recebestes uma vida nova, mas por descuido deixaste-a murchar, mas agora, abandona a vida de pecado, começa a viver uma vida nova de filho de Deus.   
 
«Permanecei no Meu Amor» 
* Jesus dirigiu muitas vezes este convite aos seus discípulos e ilustrou-o com luminosas expressões:”Eu sou a videira e vós sois os ramos”; “Como o pai me amou, assim Eu vos amei”.
* Apóstolo São João exclamou:  «Qual grande amor o Pai nos tem em nos chamar Seus Filhos, e somo-lo de facto»  (1Jo 3,1). Os Padres da Igreja diziam: «Reconhece, cristão, a tua dignidade!». Jesus propõe uma “vida nova”, uma vida renovada pelo Espírito Santo, uma vida que acolhe e contempla o Amor de Deus.