Paz e serenidade

23 de Março de 2018 Não Por Pe Leo Orlando

Precisamos de paz interior e de serenidade e tantas vezes não as temos. O que fazer para que a paz e a serenidade habitem dentro de nós.

1. Manifestar os sentimentos às pessoas que amamos, dizer-lhes: gosto de ti. Se fizermos uma viagem com a memória, reparamos que não manifestamos os afetos, que na verdade sentimos dentro de nós para com as pessoas que mais amamos (mãe, pai, esposo, esposa, filhos, netos, irmãos, amigos).

2. Reconciliar-se: dar e receber o perdão. Pedir perdão e perdoar pode re-estabelecer os relacionamentos dentro da família e com as pessoas que fazem parte da nossa vida. Quando estamos em paz com os outros, a paz está dentro de nós e sentimos os seu efeitos porque estamos bem a nível espiritual e emocional. Na verdade, sem perdão não pode haver paz interior. Quando perdoamos, desaparece o rancor, o ressentimento, a amargura e as mágoas. A paz interior é o resultado de uma escolha humilde, corajosa e generosa: perdoar. O desamor produz ofensas, roturas, mágoas. O perdão é um super amor, um excesso de amor que nos levanta, que nos ressuscita: dá vida, serenidade e paz.

3. Agradecer. A palavra “obrigado” tem um significado riquíssimo: manifesta reconhecimento, apreço pelo bem que nos fizeram. Produz serenidade, amor, confiança, enfim, paz interior.

4. Despedir-se. Dizer adeus preanuncia a saudade de voltar a encontrar-se. Ir-se embora manifestando o desejo de se reencontrar é algo de profundamente reconfortante. O adeus manifesta saudade, é o fim de um etapa, mas a vida continua. Quando alguém morre, é o último adeus, e assumir o fim de uma etapa, não o fim da existência, é saudade, desejo de se reencontrar, é o amor que vence a morte.