Pureza

Jesus disse: “Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus”. (Mt 5,8) A pureza de coração está ligada a uma bem-aventurança: reconhecer a presença de Deus. Se queremos ver a Deus no Céu, devemos cultivar a virtude da pureza nesta terra.

S. Paulo, que conhecia bem o preço desta virtude, dizia: «Fugi da impureza… quem se entrega à impureza, peca contra o seu próprio corpo. Não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, porque o recebestes de Deus, e que vós já não vos pertenceis? 20Fostes comprados por um alto preço! Glorificai, pois, a Deus no vosso corpo» (1Cor, 6, 18-20)

Um olhar puro
Com os olhos do nosso corpo podemos observar podemos distinguir entre a luz e as trevas, entre branco e preto, entre belo ou feio; a mesma coisa acontece com os olhos da alma. Um olhar límpido e puro consegue distinguir a presença de Deus.

Muito pelo contrário, os cegos não conseguem ver Deus, mas nem por isso a luz deixa de existir. A mesma coisa acontece na nossa alma. Quando nela entra a impureza, os olhos da alma são velados pelos pecados e pelos vícios, não conseguem ver bem.

Por isso, pedimos a Deus que nos liberte de toda a obscuridade e que tenhamos um olhar límpido para reconhecer a Sua presença.

Um coração livre, capaz de amar
A sociedade materialista, com a decadência da vida moral, acabou por cegar a almas. Assim, toleramos à impureza como se fosse uma coisa boa e, assim, vivemos escravos do pecado e atormentadas pelas paixões da carne.
Se queremos ter um coração puro, livre, capaz de amar, devemos cultivar virtude da pureza. Isto é, temos de dominar os desejos desordenados. Só uma coração livre dos apegos terrenos tem a capacidade de amar que leva a verdadeira felicidade.

O Combate do cristão
Com o Baptismo renascemos pela Água e pelo Espírito Santo. Livres da escravidão do pecado, entramos na vida nova da graça; mas não perdemos a liberdade, por isso, a luta contra a concupiscência da carne e os desejos desordenados continua durante toda a vida.
A pureza é a virtude interior que nos liberta dos desejos desordenados e nos ajuda a amar com um coração recto e sincero, fruto de uma luta constante contra o pecado. A pureza é uma pérola preciosa pela qual vale a pena lutar, com ela seremos capazes de ver a Deus.

Sejas puro no teu olhar – A custódia dos sentidos
O erotismo difuso, espetáculos mundanos e indecentes, livros, jornais, internet, conversas, alimentam a curiosidade mórbida da impureza e cegam a alma. A igreja desde sempre ensina a custodiar os sentidos, particularmente o olhar.

Os olhos são as janelas da alma. Se o nosso olhar é puro, a alma permanece na paz. A pureza exige uma disciplina constante do olhar, exterior e interior. Isto é, uma vigilância continua no olhar, nos pensamentos e na imaginação, que é chamada “custódia dos sentidos”. É um olhar puro, iluminado pela verdade, que nos ajuda a rejeitar o mal e escolher o bem: a rejeitar a imoralidade (desordem moral) e escolher uma vida ordenada, recta, justa, de acordo com consciência moral. Quando o olhar é puro, a alma é luminosa, a paz reina no coração. Se for impuro caímos na escuridão, perdemos a paz interior e o coração fica atormentado.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.