Alegria e Esperança

2 de Janeiro de 2014 0 Por Pe Leo Orlando

Alegria e optimismo

A alegria cristã é muito diferente do optimismo ingénuo. Uma pessoas optimista é com certeza apreciável. Ele pensa que tudo correrá bem, todo irá melhorar. Poderá acertar ou enganar-se, mas decerto não tem o controle sobre as circunstâncias.

A alegria do cristão não é feita de optimismo, de previsões positivas. A alegria cristã não nega a realidade de que vivemos num mundo de trevas, mas tem a certeza de que Deus venceu o mundo. Jesus di-lo alto e a bom som: «No mundo tereis aflições, mas tende confiança! Eu venci o mundo» (Jo 16, 33b).

O cristão sabe que a luz de Deus é mais real do que as trevas, que a verdade de Deus é mais poderosa que todas as mentiras humanas, que o amor de Deus é mais forte do que a morte.

O mundo está sob o poder do Maligno. O cristão conhece a realidade do mundo e não ignora os sofrimentos da humanidade, mas sabe que Deus venceu o mundo e fica feliz porque sabe que é Deus e não o Mal, a dizer a última palavra.

O cristão confia em Deus e enfrenta o Mal do mundo com a plenitude da Bondade Divina. Vive neste mundo não já como vítimas, mas como filho amado, guiado, não pelo optimismo, mas pela esperança.

Os frutos da esperança

Há urna relação íntima entre alegria e esperança. O cristão não é uma pessoa optimista que pensa que tudo irá para o melhor, não, o cristão é um homem de esperança, não aguarda que as coisas desenvolvam para melhor, vive com a certeza de que, aconteça o que acontecer, Deus nunca o abandonará. O cristão não precisa saber se o futuro será melhor ou pior, porque Deus é Aquele que lhe dará a resposta a todos os seus anseios.

A alegria é o fruto da esperança. Se confiar em Deus, que Ele está comigo, que me segura nos seus braços, que conduz os meus passos, já não preciso de saber como será o amanhã, mas fico sereno no meu lugar, prestando atenção aos muitos sinais de amor que Deus coloca em mim e à minha volta.

Quem acredita profundamente que o hoje é o dia do Senhor e que o amanhã está cuidadosamente guardado no amor de Deus, pode viver tranquilo e sorrir e alegrar-se para com Aquele que sorri para nós.

Para além dos desejos

A alegria e a esperança nunca se podem separar. Quem confia em Deus não fica deprimido ou preocupado. É uma pessoa de esperança. Mas a esperança é algo mais do que simples desejo, e a alegria algo mais do que simples contentamento,

O desejo e o contentamento dependem dos acontecimentos. Desejamos que o tempo mude ou que a guerra acabe; desejamos arranjar um novo emprego, conseguir um melhor salário ou urna recompensa; e, quando se consegue isso, ficamos contentes.

Mas a esperança e a alegria dependem da confiança em Deus que nos trata com amor infinito e que nos será sempre fiel. Esperamos em Deus e alegramo-nos mesmo quando os nossos desejos não se realizam e quando não estamos contentes com as circunstancias da vida.

As pessoas mais ricas de alegria e esperança foram aquelas que passaram por muitas tribulações, porque é nestes momentos de enorme dor emocional e física que apreenderam a gritar para Deus dizendo: «Tu és a minha esperança, Tu és a fonte da minha alegria». Quando já não temos apoios humanos, podemos descobrir que a nossa verdadeira e única esperança está em Deus.

Tantas vezes nos enganamos porque trocamos a esperança com a procura do nosso sucesso e recompensa. Esta descoberta penosa pode, lançar-nos mais uma vez nos braços d’Aquele que é a verdadeira fonte de toda a nossa esperança e alegria.