Viver o “Presente”

2 de Janeiro de 2018 0 Por Pe Leo Orlando

«Caríssimos, agora já somos filhos de Deus, mas ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando Jesus se manifestar em Sua glória, seremos parecidos com Ele, porque o veremos tal como Ele é» (Cf. 1Jo 3,2)

O presente prepara o futuro

  • O tempo presente é “Kairos” isto é tempo de salvação, o tempo do “Eterno Presente”. O tempo que é um presente (dom) de Deus, o tempo em que podemos encontrar Deus que está Presente “aqui e agora”.

  • Vivemos o presente preparando o futuro. O dia de hoje é “Kairos”,  não é uma repetição do passado, é uma nova oportunidade, é um novo começo, é uma possibilidade única para tornar tudo novo.

  • Se eu quiser, posso acolher este dia, cada dia como um dom de Deus e aceitar o desafio de o viver como um dom, como uma oportunidade para manifestar a minha identidade verdadeira e profunda: sou filho de Deus.

O presente é um presente de Deus

  • O dia de hoje, é um presente de Deus para eu crescer em humanidade, uma oportunidade para avançar mais um passo para alcançar a plenitude do meu ser.

  • O passado já passou, está entregue à Misericórdia de Deus, o futuro há de vir, só o presente está ao meu alcance. Como “filho amado do Pai Celeste” posso viver intensamente o presente, espalhando amor, aceitando o desafio de semear e recolher, de viver a surpresa do dom dado recebido.

A prisão do passado e as preocupações do futuro

  • Jesus disse: «Não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá as suas preocupações. Basta a cada dia o seu problema» (Mt 6,34)

  • O que nos impede de viver de forma criativa o presente, isto é o desafio de dar e receber amor, é o nosso passado. Já passamos por tantas experiências e acabamos por dizer a nós próprios: «Tu já conhece tudo, sê realista. Não podes esperar nada de novo para o futuro, procura sobreviver o melhor que poderes».

  • Há também sinais positivos de esperança, mas muitas vozes astutas voltam a sussurrar-nos aos ouvidos «não te deixes enganar».

  • Há momentos que estas vozes parecem tão convincentes que acabamos por lhes dar razão, assim vivemos sem esperança: o nosso novo dia, o nosso novo ano, a nossa nova hora, tornam-se vulgares, aborrecidos, vazios, sem nada de novo, pois, de facto nada esperamos.

Jesus disse: «Todo aquele que escuta as minhas palavras e as pões e prática é como um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha». (Mt 17,24)

Escutar a Palavra de Deus

  • Jesus convida-nos a pôr de lado estas vozes tentadoras e a escutar e pôr em prática as Suas palavras», pois só Ele tem Palavras de vida eterna. Ele é a Rocha firme sobre a qual podemos edificar a nossa vida e vencer as tempestades.

  • Jesus convida-nos a abrir a mente e o coração à Sua voz que ressoa nos vales e nos montes da nossa vida: «Eu vivo com o meu povo, O meu nome é “Deus-contigo” Eu enxugarei as lágrimas dos teus olhos; não haverá mais morte, nem pranto, nem gritos nem dor, porque o mundo passado já não existe» (cf. Ap 21, 2-5).

  • As palavras de Jesus são as palavras do Pai que nos chama «filho amado». Esta voz transforma a nossa vida, faz-nos renascer pela água e pelo Espírito Santo.

  • Se optarmos por dar ouvidos a Sua voz, cada dia é uma surpresa que nos revela a “vida nova” escondida dentro de nós que anseia a renascer, a crescer, a chegar a sua plenitude.

E difícil viver completamente no presente.

  • O passado e o futuro continuam a atormentar-nos O passado com remorsos, o futuro com preocupações. O passado pode ser causa de ansiedade, desgosto, indignação e confusão.

  • O futuro reserva as suas incertezas e preocupações: «O que será se acontece isto ou aquilo? se fico desempregado; se o meu pai morrer; o que será se não tiver dinheiro suficiente para pagar as dívidas» o que será se a economia enfraquece; o que será se estala uma guerra?».

  • Os «deverias» e os «sés» são os nossos piores inimigos. São eles que nos puxam para um passado que não se pode modificar e para um futuro imprevisível.

  • Não podem ignorar as nossas preocupações, mas se lhe damos muita importância, se deixarmos que ocupem inteiramente a nossa mente, ficamos como cegos que não conseguem ver a luz.

  • Não conseguimos ver e apreciar os sinais de bem, de esperança, de amor que nos ajudam a avançar. Não conseguimos ver que Deus está presente aqui e agora. Deus é o Eterno Presente. Deus está presente neste momento, quer seja difícil ou fácil, quer alegre ou triste.

Deus está presente no presente

Quando Jesus falou de Deus, falou sempre de Deus presente onde nós estamos e quando Ia estamos. «Quem me vê a Mim, vê a Deus. Quem Me ouve a Mim, ouve a Deus». Deus não é alguém que foi ou que será, mas «Aquele-que-é»; Aquele que está presente para mim no momento presente.

É o Deus “presente” que nos liberta do passado e do futuro

Jesu disse: “Vinde a Mim, vós que andais cansados e oprimidos e Eu vos aliviarei”. Jesus veio para tirar de nós o peso do passado e as preocupações pelo futuro. Ele quer que nós descubramos a Deus precisamente onde estamos, aqui e agora.