Doença e falta de perdão

2 de Janeiro de 2018 0 Por Pe Leo Orlando

Quem vive ruminando revolta e ressentimentos nunca será feliz. São Paulo exortava os cristãos dizendo: “não se ponha o sol sobre o vosso ressentimento” (Ef 4,26). Infelizmente muitas pessoas ficam feridas e magoadas e não conseguem ou não querem perdoar, por isso não encontram sossego, nem remédio para as suas enfermi­dades.

O perdão tem várias dimensões: perdoar, perdoar-se, confessar-se, pedir per perdão.

Se perdoarmos seremos perdoados

  • Perdoar é tomar a decisão de não ficar a vida inteira lamentando-se por factos passados. Quem assim se comporta demostra ser ainda uma pessoa imatura. Por isso perdoar e decidir crescer. Todos erramos, todos pecamos, todos passamos por experiencias negativas. Que adianta lamentar-se continuamente? Se queremos crescer não podemos viver de lamentações e condenações.

  • Perdoar é crescer! Além disso é a chave de ouro que abre a porta da misericórdia de Deus que, em Jesus, nos quer curar e libertar. A oração que Jesus nos ensinou, o Pai Nosso, diz claramente: “perdoa-nos como nós perdoamos” (Mt 6,12).

  • Deus é Misericordioso e perdoa, e quer que nós perdoemos também «Porque – disse Jesus – se perdoardes aos homens as suas ofensas, vosso Pai ce­leste, também vos perdoará. Mas, se não perdoardes aos ho­mens, tão pouco vos perdoará» (Mt 6, 14-15). Se não perdoarmos de todo o coração, viveremos infelizes e não alcançaremos o perdão de Deus.

Perdoar não é perder, é ganhar

  • Muitos pensam que perdoar é perder, é fraqueza, é humilhar-se, submeter-se, mas não percebem que perdoar é ganhar porque liberta da prisão dos ressentimentos.

  • Perdoar é uma atitude positiva de liberdade interior. Quem não perdoa fica preso e oprimido por rancores, ressentimentos, ódio e pensamentos tristes, desejos de vingança, exposto a cair numa depressão e outras doenças.

  • Perdoar é uma atitude positiva que abre o nosso coração para receber o perdão de Deus e ficarmos curados. Quem não perdoa vive fechado em si mesmo e se torna incapaz de receber perdão de Deus.

  • Quem perdoa, torna-se semelhante a Jesus que amou e perdoo seus inimigos.

  • Há pessoas que procuraram desculpar-se ou justificar-se, procurando motivos para não perdoar. Com esta atitude destrutiva, estão a perder tempo precioso, numa inútil autoflagelação. Com um pouco de humildade podiam reconhecer que todos pecamos, todos tomamos atitudes e decisões incorretas, todos falhamos e tropeçamos na vida. Jesus disse: “Quem estiver sem pecados atire a primeira pedra”.

  • Para saber perdoar é necessário compreender que eu também sou limitado, fraco, pecador e que preciso de me corrigir. As nossas fraquezas e limitações nos ajudam a compreender as fraquezas e limitações dos outros.

A falta de perdão destrói

  • É triste encontrar pessoas que não sabem perdoar e que dizem: o que me fizeram, não dá para perdoar, não dá para esquecer. São pessoas que sofrem horrivelmente e fazem sofrer os outros. A falta de perdão, o pessimismo, os rancores cultivados consciente ou inconscientemente destrói-nos.

  • Precisamos que Jesus nos cure e liberte. Os ódios e os rancores expõem a nossa vida ao domínio dos espiritos negativos, que nos levam ao desanimo e ao desespero e deitam a nossa vida no inferno.

  • Perdoar é amar e o amor é o único tesouro que levaremos connosco quando deixaremos este mundo.

  • A falta de perdão bloqueia a nossa capacidade de dar e receber amor, deita-nos na tristeza, a vida corre mal, não funciona. Quando perdoamos, cresce a capacidade de amar e, com isso, a saúde e a paz envolve a nossa vida.

O Exemplo de Jesus

  • Jesus perdoo sempre, mesmo no alto da Cruz, quando seus algozes o insultavam, Ele perdoo, não se vingou. Olhou-os com misericórdia: «Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem» (Lc 23, 34).

  • Ninguém neste mundo foi mais humilhado, perseguido e injustiçado como Jesus, no entanto, Ele cheio de miseri­córdia, rogou ao Pai que não levasse em conta a sua maldade, pois não sabiam o que estavam a fazer.

Não sabem o que estão a fazer.

  • As pessoas que fazem o mal, não sabem o que estão a fazer, não têm noção do mal que estão a fazer.

  • Se conhecessem as consequências das suas atitudes, do mal que estão a fazer com as suas críticas, difamações e calúnias, pensariam duas vezes antes de prejudicar seus semelhantes. Por isso, é com razão que Jesus diz que não sabem o que fazem.

  • As pessoas, não sabem o que estão a fa­zer, quando se deixam levar pela raiva, inveja, revolta e frustração, e ofendem os outros.

  • Quando nos deixamos conduzir pelo Espírito Santo a vida é muito diferente: já não somos dominados pelo ódio, compreendemos e perdoamos. Rezamos e abençoamos os que nos ofenderam.

  • Se lutarmos para manter a paz em nosso coração, não seremos atingidos por ne­nhuma enfermidade.

O que é perdoar?

  • Perdoar é renunciar à vingança, renunciar a pagar com a mesma moeda. Perdoar é amar, é uma luta interior para entregar tudo nas mãos de Deus e vencer o ressentimento, desejar o bem.

  • Perdoar é o remédio precioso que curar todas as doenças, até o cân­cer. A doença, não há dúvida nisto, alimenta-se com falta de perdão.

  • Quem não sabe perdoar é inimigo de si mesmo, o pior inimigo. Auto-destroi-se!

Perdoar é um acto da nossa vontade

Há pessoas que confundem perdão com sentimento. Não, o perdão não é sentimento, é um acto livre da nossa vontade, é querer perdoar. Por isso, o perdão é sempre possível, mesmo quando o coração dói. As mágoas tentam sufocar a nossa vontade, mesmo assim, escolhemos o caminho do perdão.

Perdoar não é fraqueza

  • O perdão não é fraqueza, deixar correr as coisas, não se importar com elas. Não. Perdoar é uma luta, um grande trabalho interior, para não nos deixarmos dominar pelos nossos sentimentos.

  • Perdoar e escolher corajosamente o perdão e renunciar à vingança.

  • Perdoar não significa que aprovamos o procedimento errado de quem nos ofendeu. Não. reconhecemos seu erro, sofremos com isso, mas escolhemos o caminho do perdão.

  • Perdoar é sinal de sabedoria, porque se perdoamos, quem sai a ganhar somos nós. Se não per­doarmos, somos nós que perdemos porque complicamos a nossa vida, perdemos a paz interior e, por conseguinte, o próprio Deus.

  • Jesus ensina a perdoar e orar por aqueles que nos ofendem, porque se re­zarmos por eles, se lhe desejarmos todo o bem, já temos a certeza que de facto estamos a per­doar. Quando rezamos por alguém é sinal de que já a per­doamos.

A quem perdoar?

  • Podemos e devemos perdoar a todos àqueles que nos ofenderam, consciente ou inconscientemente. Para conseguir perdoar mais facilmente, pensemos que ninguém é totalmente mau, em cada pessoa há sempre um lado bom. Todos somos pecadores, mesmo assim, temos sempre algo bom dentro de nós, é só descobrir.

  • É preciso compreender, ter compaixão. Que faz o mal e se deixa levar pela raiva é uma pessoa que sofre, que não está bem com si própria. É uma alma oprimida que não tem paz no coração. Se estivesse bem, em paz, não ofenderia os outros. Podemos considerar a sua lastimável situação e não o sobrecarregar com a nossa vingança.

Muitas vezes pouco ou nada podemos fazer para o ajudar, mas sempre podemos orar por ele, invocando a ajuda do Senhor.

Peçamos constantemente ao Senhor a graça de saber perdoar e Ele a concederá. Peçamos que Ele cure os nossos corações feridos e magoados, que nos liberte de todo o ressentimento, que arran­que do nosso coração toda a raiva e revolta, e que nos encha com a Sua Paz. Tudo o que Lhe pedirmos com fé, o alcançare­mos. (Mt7, 11).

Perdoar é renunciar à morte e escolher a vida.

  • Deus que nos ama, perdoa sempre e ensina a perdoar. Na sua Sabedoria Infinita ensina-nos a viver, pois se não perdoarmos, não vivemos, vegetamos.

  • A falta de perdão é um veneno que destrói por dentro e faz adoecer. É a causa principal de muitas enfermidades. O mal estar interior pode provocar uma depressão, doenças de estomago, de fígado, no sistema nervoso, nos ossos.

Não podemos encontrar paz sem perdão.

  • É necessário esvaziar nosso coração de todas as bolsas do veneno do ódio, rancor e autocondenação.

  • Todos temos o coração machucado e ferido. De algumas feridas temos conhecimento, de outras não, só Deus as conhece. Mas Deus quer curar-nos, dar-nos vida. Se lhe abrirmos sinceramente o coração, Ele unge-nos com o bálsamo da Sua Misericórdia, enche nosso coração de paz e amor.

  • Deus ajuda-nos a perdoar, antes, faz-nos sentir a alegria de perdoar e conduz-nos ao perdão total. Não é pela nossa força, é pelo poder de Deus! A alegria e a paz de Deus dá-nos a capacidade de perdoar.

Quando nos entregamos ao Senhor humilhados e confiantes, reconhecendo as nossas misérias e pecados, Ele perdoa-nos. O perdão de Deus renova a nossa vida e dá-nos a força de perdoar. Se nos deixamos invadir pelo Seu Amor, certamente, desaparece todo o ressentimento e passaremos a olhar aquelas pessoas que nos ofenderam com a Luz da Misericórdia divina.