Se és filho adoptivo

4 de Agosto de 2018 0 Por Pe Leo Orlando

Meu amigo (a), sei que te sentes abandonado, desprezado e rejeitado pelos teus pais naturais. Queria dizer-te, perdoa-lhes! Considera o seguinte: foram eles que te deram a vida mas, infelizmente, não tinham condições para te criar;  por isso – com muito desgosto, sofrimento e de coração partido – para que tu tivesses um futuro melhor, permitiram que outros te ajudassem, em lugar deles, e te garantissem os cuidados e as condições de vida e eles não te podiam dar. Enfim, o que os teus pais fizeram, foi um gesto de amor. Perdoa-lhes!

Queria dizer-te, também, respeita e ama os teus pais adoptivos, ama-os como se fossem os teus pais naturais e ainda mais. Eles estão contigo sempre, gostam de ti, deram-te e estão a dar-te aquele amor que, os teus pais naturais queriam dar-te, mas não puderam. Agradece-lhe!

Não desprezar os teus pais naturais. Se um dia os encontrares, abrace-os, agradece-lhes o dom da vida, agradece-lhe por esse acto de grande amor de se afastar de ti, para que tu pudesse ter melhores condições de vida. Se são pobres, ajuda-os. O amor com o amor se paga.