Archive for the ‘Ensinamentos’ Category

Se Deus é bom porque existe o mal?

Quinta-feira, Agosto 6th, 2020

Deus é o Senhor e Criador de tudo e de todos. Todas as criaturas manifestam a infinita grandeza do Seu Criador: harmonia, bondade, beleza, grandeza e santidade. «Deus é amor» (1Jo 4,8) e tudo sustenta com a Sua Infinita Providência (Sab 11, 24-26; Heb 4,13). O Catecismo da Igreja Católica afirma que o mundo foi criado para a glória de Deus e que, sendo Ele o Criador, não aumenta a Sua glória, mas a manifesta e a comunica para a nossa felicidade (CIC 293).
Deus criou o homem a «sua própria imagem e semelhança» (Gen 3,13). Ele é «o ponto culminante da obra da criação» (Gen 1,26) (CIC 343). Colocou-o nesse jardim, no «paraíso terrestre» (Gn 2,4-25), para que vivesse em perfeita harmonia com a criação e nada nada lhe faltasse para ser feliz. Deus criou o mundo em processo de perfeição para que o homem, com o seu trabalho o levasse à perfeição. Deu confiou ao homem toda a criação. O Salmo 8 canta a grandeza do homem que Deus «fez um pouco inferior aos anjos, coroado de honra e glória, para dominar sobre toda a criação (Sl 8, 5-8).

O homem é um «ser livre»
Deus leva à sério o livre arbítrio das suas criaturas até ao ponto de permitir que elas se revoltem contra o Seu Criador. Deus respeita todas as escolhas dos homens. Quando são viradas para o mal, Deus não impede as suas consequências negativas, mas faz que também elas sejam proveitosas para o seu crescimento. Por outro lado, Deus abençoa o bem e faz que seja fecundo de bons frutos.

Deus permite o pecado para ajudar o nosso crescimento.
O profeta Oseias dá uma imagem poderosa de Deus, cheia de ternura: é como um pai que ensina ao filho a caminhar, acompanha-o sempre, mas não impede que ele caia, mas o ajuda a levantar-se para que apreenda a caminhar sozinho. Assim todos aprendemos através dos erros, uma aprendizagem que dura toda a vida. Deus, por amor, deu-nos a vida. Fomos gerados no ceio materno e confiados à ternura de uma família. Mesmo em casais separados ou divorciados, o amor paterno e materno subsiste, em condições por vezes muito difíceis e complicadas, mas o pai e mãe não desistem. Muitas vezes, os avós intervêm nesta missão.
Nascemos, mas depois temos de crescer. Passamos pelo tempo da infância, da puberdade, da adolescência, da juventude até chegarmos à idade adulta, até deixar pai e mãe para constituir uma nova família. Muitos erros acontecem durante este processo de crescimento, pois, é através dos erros que todos apreendemos.

As limitações do crescimento humano, este apreender através dos erros, explicam, embora só em parte, o mal que existe no mundo. Muitos males são devidos às limitações do nosso crescimento humano. Deus actua sempre, na Carta aos Hebreus encontramos a seguinte afirmação: «Deus trata-nos como filhos, e qual é o filho a quem o pai não corrige» (Heb 12,7). «Como um pai educa seu filho, assim Deus educa seu povo» (Dt 8,5).

Agradecer com as nossas obras

Domingo, Julho 19th, 2020

São Paulo dizia aos cristãos: «Quem semeia pouco, também pouco colherá; mas quem semeia com generosidade, com generosidade também colherá. Cada um dê como dispôs em seu coração, sem tristeza nem constrangimento, pois Deus ama a quem dá com alegria. E Deus tem poder para vos cumular de toda a espécie de graça, para que, tendo sempre e em tudo quanto vos é necessário, ainda vos sobre para as boas obras de todo o género. Como está escrito: distribuiu, deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre». (2Cor 9,6-15)

Fazemos um exemplo. Um conferencista, recebeu muitos cumprimentos pela sua intervenção e durante o convívio alguém lhe entregou um envelope. Ele agradeceu, colocou-o no bolso e esqueceu-se dele. Quando chegou a casa começou a esvaziar os bolsos e viu aquele envelope; lá dentro estava um cheque de doze mil euros. Sem hesitar, pegou naquele cheque e deu-o a um homem pobre que havia conhecido há pouco tempo e que tinha doze filhos. Já tinha perdido três filhos porque comiam do lixo e bebiam água contaminada.
Esse homem, assim, conseguiu cuidar da sua família e ajudar também seus vizinhos.

Qual teria sido a minha reacção? E a tua reacção? Teríamos nós a capacidade de partilhar? Com certeza que, aquele conferencista se tivesse ficado com aquele dinheiro não teria cometido nenhum pecado. Ele não estava obrigado a dar aquele dinheiro aos pobres, mas o deu. Esta história pode não ser verdadeira mas, no entanto, ajuda-nos a reconhecer que muitas vezes estamos mais preocupados a satisfazer os nossos desejos do que a pensar em ajudar os outros. A vontade de Deus é que partilhemos, que pensemos nos outros e não apenas em nós próprios. Agora, para ajudarmos os outros, não devemos esperar que alguém coloque um cheque de doze mil euros no nosso bolso, podemos fazê-lo em qualquer momento. Sermos generosos como é o Senhor é generoso para connosco e partilhar, é uma forma muito especial de manifestar a nossa gratidão.

«Um dia, Jesus observava as pessoas que deixavam suas ofertas no cofre do tesouro do templo. Levantando os olhos, viu os ricos a deitarem lá as suas ofertas. Viu também uma viúva pobre deitar lá apenas duas moedinhas e disse: Em verdade vos digo que esta viúva pobre deitou mais do que todos os outros; pois eles deitaram no tesouro do que lhes sobejava, enquanto ela, da sua indigência, deitou tudo o que tinha para viver» (Lc 21,1-4).

A gratidão é criativa, inspira gestos de amor e carinho sem limites. Os ricos deram o que lhes sobejava, aquela pobre viúva deu tudo o que tinha. Deu tudo porque confiava em Deus e na Sua infinita providência.

Agradecer também pelas fraquezas

Domingo, Julho 19th, 2020

Podemos agradecer a Deus também pelos nossos pecados, mas é necessário reconhece-los, arrepender-se, pedir perdão e reparar. Arrepender-se, tentar reparar as consequências negativas dos nossos pecados é sinal de amor. Arrepender-se, confiar em Deus, fazer o bem é uma estratégia muito eficaz para impedirmos que o mal tome posse de nós. É sinal da presença de Deus na nossa vida. Porque então não agradecer-Lhe pela força que Ele nos dá.

Se amamos a Deus, encontramos sempre motivos para Lhe agradecer. Se temos a consciência dos nossos pecados e nos tornamos mais humildes é um grande dom de Deus. Se temos a capacidade de aprender através dos erros, é dom de Deus. Se temos a vontade de nos emendarmos, é dom de Deus. Se temos força par corrigirmos o nosso comportamento, é sinal do amor de Deus na nossa vida.

Se reconhecermos as nossas fraquezas e fragilidades, mas não desanimamos porque confiamos em Deus, este é mais um sinal da Sua Presença na nossa vida. Porque não agradecer-Lhe?

Deus é um Pai bom e misericordioso sempre pronto a nos perdoar, por isso, podemos reconhecer os nossos pecados com serenidade, sem nos sentirmos humilhados, antes, no mesmo instante que os reconhecemos, Ele nos acolhe com amor e nos perdoa. O Seu perdão restaura em nós o que estava partido e enche-nos de paz. Ele fortalece a nossa vontade evitarmos o mal e fazermos o bem. Tudo isso, é sinal de que estamos vivos interiormente, de que Deus está presente e opera na nossa vida. Porque não agradecer-Lhe?

A experiência da nossa fraqueza ajuda-nos a compreender melhor os outros. Porque não agradecer ao Senhor também pela capacidade que Ele nos dá de compreender os outros? Além disso, depois do pecado, Ele nos dá o Seu perdão. A Sua graça torna-nos mais fortes contra o mal: a antiga serpente não nos pode surpreender repentinamente. Porque não agradecer-Lhe pela força que Ele nos dá?

Se não encontramos a paz dentro de nós é porque a consciência nos chama à atenção. Ter uma consciência viva, sensível, é um outro sinal da presença do Senhor na nossa vida. Então, porque não agradecer-Lhe?

Podemos agradecer ao Senhor por tudo, também pelas fraquezas, não para ficarmos nelas, mas sim, para as superarmos. Arrepender-se, depois de uma falta, é o primeiro passo para não voltar a cair. A Sua bondade dá-nos uma grande força para vencermos o mal e fazermos o bem. Temos de agradecer o Senhor!

Somos pecadores, mas, se em lugar de desanimarmos, escolhemos confiar no Senhor e pedir a Sua ajuda, nos tornamos mais fortes contra o mal. Se reconhecermos os nossos pecados e pedimos perdão é dom de Deus. Se temos um coração humilde e sincero, isto muito agrada ao Senhor, é sinal de que nos deixamos iluminar pela Verdade e não nos permitimos que o mal nos escravize. A confiança, a humildade e a sinceridade são sinais da presença de Deus na nossa vida. Porque não agradecer ao Senhor por tudo isso?

A pessoa que agradece é humilde porque se deixa iluminar pela verdade e nunca desanima porque confia na bondade de Deus.

«Bendiz, ó minha alma, o Senhor e não esqueças todos os seus benefícios. É Ele que perdoa as tuas culpas e cura todas as tuas enfermidades. É Ele que resgata a tua vida do túmulo e te coroa de graças e bondade. É Ele quem acumula de bens a tua existência. O Senhor é misericordioso e compassivo, não está sempre a repreender. Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos castigou segundo as nossas culpas. Como o pai se compadece dos filhos, assim o Senhor se compadece dos que o temem. Ele conhece de que somos formados … Os nossos dias são como o feno, mas a sua graça dura para sempre. Bendizei ao Senhor, todas as suas obras, bendiz, ó minha alma, o Senhor» (do Salmo 103).

«Bendirei o Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará sempre nos meus lábios. Saboreai e vede como o Senhor é bom, feliz o homem que Nele se refugia. Temei o Senhor, vós os Seus santos, porque nada falta àqueles que O temem». (do Salmo 34).

Quem não agradece, resmunga!

Domingo, Julho 19th, 2020

Quem não apreende a agradecer, apreende a resmungar. Resmungar, lamentar-se de tudo e de todos, é uma doença detestável que não é fácil curar. Deveria ter uma grande força de vontade, mas, quem quando consciência está suja, falta a vontade e a capacidade de se levantar. Quem resmunga entra num círculo vicioso: quanto mais ele resmunga tanto mais perde a paz interior do coração. Pela sua cegueira espiritual é incapaz de ver os aspectos positivos da vida, vive nas trevas, tudo é negativo para ele. Com certeza, Deus lhe deu muitas qualidades positivas – bondade, generosidade, capacidade de amar, escutar, perdoar, etc… – mas pela sua cegueira, fica preso pelo sentimentos negativos que ele mesmo cultiva.

Resmungar é sinal de velhice espiritual: um envelhecimento precoce que corta qualquer relacionamento positivo, consigo mesmo, com os outros e com Deus, o que é para ele doloroso e destruidor. O pior é que, ele não só está a destruir a sua própria vida, mas também a vida dos outros.

O Povo de Deus, no deserto continuava a lamentar-se contra Deus e contra Moisés. Este lamentar-se ou resmungar é sinal de falta de fé, de pouca confiança em Deus. Imaginemos agora, que eu acorde com uma dor de cabeça; se começar a resmungar, qual será o resultado? Primeiro, não encontro o remédio para a minha dor de cabeça; segundo, o que é ainda pior, a minha má disposição acabará por tornar mais pesado o dia das pessoas que me rodeiam.
O resultado seria bem diferente se eu confiar em Deus e pedir a Sua ajuda: «Senhor, ajuda-me a não dar muita importância a esta pequena dor de cabeça, fazei que também ela colabore com os meus deveres». O resultado seria ainda melhor se Lhe agradecer: «Senhor, não muito longe de mim, num hospital qualquer, há pessoas que sofrem mais do que eu. Obrigado porque, não obstante esta pequena dor de cabeça, posso mexer-me, pensar, trabalhar, … posso gozar do benefício de uma vida activa». O agradecimento dá vida, introduz uma força positiva que dá paz, força, serenidade e alegria.

Resmungar é morte, produz pessimismo e desânimo. É um vício que tortura e destrói, é como a erva daninha que explora inutilmente a terra do nosso jardim e não dá frutos. É preciso, portanto, tirar esta erva daninha, só assim, produzirá frutos. Como remediar? Aprendendo a dizer «obrigado», o agradecimento é o medicamento milagroso que cura esta doença.

Se, em lugar de resmungar, eu abro o meu coração ao Senhor, começo a ver aspectos positivos, me liberta da cegueira espiritual, ficarei curado e a minha vida se tornará mais alegre e fecunda.

A oração de agradecimento cura porque:
– centra a minha atenção em Deus, no Seu Amor;
– porque me liberta da cegueira e ilumina a minha consciência;
– desperta e fortalece a minha vontade;
– acorda em mim a capacidade de amar
– e me liberta-nos do meu egoísmo, da minha visão curta e mesquinha.

A oração de agradecimento cura-nos porque nos ajuda a descobrir quanto Deus nos ama e como estamos cheios dos seus dons. Abre os nossos olhos para vermos as facetas positivas dos nossos problemas, mesmo nas situações mais complicadas. Além disso, nos ajuda e deixar de lado as nossas atitudes infantis e, em lugar disso, assumirmos atitudes de pessoas adultas e responsáveis, de pessoas que avançam, que enfrentam com serenidade e coragem as dificuldades da vida.

Senhor, Vós me conheceis. Vós sabeis tudo de mim e estais atento a todos os meus passos. Ainda a palavra não chegou à boca e já a conheceis plenamente. Estais à minha frente e atrás de mim, sobre mim repousa a Vossa mão. Vós é que me plasmastes e me tecestes no seio de minha mãe. Dou-Vos graças por tantas maravilhas, as vossas obras são admiráveis, conheceis a sério a minha alma. Perscrutai, Senhor, conhecei o meu coração, examinai-me e conhecei os meus propósitos. Vede se é errado o meu caminho e conduzi-me pelo caminho do que é eterno (do Salmo 139).

Como retribuirei ao Senhor? (Sl 116)

Domingo, Julho 19th, 2020

«Como retribuirei ao Senhor todos os seus benefícios para comigo? Elevarei o cálice da salvação, invocando o nome do Senhor. Cumprirei as minhas promessas feitas ao Senhor na presença de todo o seu povo. Hei-de oferecer-te sacrifícios de louvor, invocando, Senhor, o teu nome». (Salmo 116,12-14).

Temos de manifestar a nossa gratidão ao Senhor porque tudo recebemos das Suas mãos, nada é nosso. Temos de lhe agradecer sempre, em todas as circunstâncias, mesmo nos momentos de dificuldade.

O autor do Salmo 116 pergunta-se: «como retribuirei ao Senhor?», isto é, como posso manifestar-Lhe a minha gratidão? É verdade de que nunca conseguiremos retribuir a Deus plenamente, tal como Ele merece. No entanto, podemos, reconhecer que temos uma dívida impagável para com Ele e, ao menos, dizer-Lhe «obrigado», agradecer-Lhe sempre e em todas as circunstâncias. O autor do Salmo 116, inspirado pelo Espírito Santo diz «Elevarei o cálice da salvação». Desta forma, ele nos conduz à fonte e ao cume da vida cristã, ao Mistério da nossa fé, a Santa Missa, a Eucaristia.

A família de Deus peregrina em terra, em todos os recantos da terra, reúne-se para celebrar a Eucaristia, para agradecer a Deus. A palavra «Eucaristia» significa «acção de graças», «agradecimento» A Igreja agradece a Deus pela grandeza criação e pela obra ainda mais admirável da salvação, em Jesus Cristo:
– «Senhor Deus, Rei do Céu, Deus Pai Todo-poderoso: nós vos louvamos, nós vos bendizemos, nós vos adoramos, nós vos glorificamos, nós vos damos graças por vossa imensa glória”.
– «Bendito sejais, Senhor Deus do Universo, pelo pão que recebemos da Vossa Bondade, fruto da terra e do trabalho dos homens, que se vai tornar para nós Pão da Vida. Bendito sejais, Senhor Deus do Universo, pelo vinho, fruto da videira e do trabalho dos homens, que se vai tornar para nós Vinho da Salvação». Para Ele elevamos em acção de graças o Corpo de Cristo e Sangue da Nova e Eterna Aliança, «para a glória do Seu Nome, para o nosso bem e de toda a Santa Igreja».

Em cada Eucaristia agradecemos o Senhor! Mas a nossa gratidão tem que continuar no nosso dia-a-dia, ao longo de toda a nossa vida, por isso, de manhã, ao começar do dia, agradecemos o Senhor, a Ele oferecemos todas as acções do nosso dia, para que sejam todas segundo a Sua Vontade. Recebemos com gratidão o novo dia como um dom do Seu Amor, da Sua fidelidade e misericórdia.

Oração da manhã:
Senhor, no silêncio deste dia que amanhece, venho pedir-Te a Paz, a Sabedoria e a Força. Hoje quero olhar o mundo com os olhos cheios de amor. Ver além das aparências os teus filhos como Tu os vês, e assim não ver senão o bem em cada um deles. Cerra os meus ouvidos a toda a calúnia. Guarda a minha língua de toda a maldade, que só de bênçãos se encha o meu espírito. Que eu seja bondoso e alegre e que quantos se chegarem a mim sintam a Tua presença: reveste-me da Tua beleza Senhor, e que durante este dia, eu Te revele a todos. Amém.

Oração da noite.
Senhor, no fim deste dia, Te entrego a minha vida. Obrigado por tudo, pela fé, pela esperança e pelo amor que hoje vivi e também pelas alegrias e sofrimentos. Obrigado Senhor, pelo bom exemplo que dos outros recebi, pela vontade de crescer e ser mais e melhor. Perdão pelas minhas faltas em pensamentos, actos e omissões, que cometi. Com o Anjo da Guarda e a Virgem Maria, velai por mim nesta noite, sede a minha companhia. Que amanhã, cheio de novas forças e alegria, com a Tua graça, possa recomeçar o novo dia. Amém.  

Agradecer é vida

Domingo, Julho 19th, 2020

Nas cartas de São Paulo, encontramos duas citações sobre a necessidade de agradecer a Deus. A primeira é «agradecer» a Deus SEMPRE e em TODAS AS CIRCUNSTÂNCIAS: «Sede sempre alegres. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é, de facto, a vontade de Deus a vosso respeito em Jesus Cristo» (Tess 5,18). A segunda, explica, PORQUÊ agradecer: «tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus» (Rom 8,28). Deus faz tudo para o nosso bem, por isso, temos de lhe agradecer. As palavras «em tudo dai graças» não são uma simples exortação, mas «dizem qual é a vontade de Deus», isto é, o que Deus espera de nós. O agradecimento deve tornar-se um estilo de vida.

A gratidão dá vida, a ingratidão semeia morte. Agradecer dá vida porque esta é a vontade de Deus a nosso respeito. Quando agradecemos semeamos vida porque estamos a cumprir a vontade de Deus, estamos a actuar com a força que Deus nos dá. A ingratidão semeia morte porque nos mantém fechados nas paredes do nosso egoísmo. A ingratidão é indiferença, é cegueira porque não conseguimos ver os dons que recebemos. Somos como cegos porque perdemos a Luz da verdade, a luz de Deus. Fechados, nas trevas, só vemos o negativo, só temos uma visão limitada ou distorcida da realidade. Além disso, queremos cada vez mais, nunca ficamos satisfeitos, não encontramos a paz dentro de nós, nem temos a capacidade de enfrentar a vida com serenidade e coragem.

A gratidão dá vida porque a Luz do Amor de Deus brilha dentro de nós; a Luz verdadeira que ilumina todos os homens, a luz que vence as trevas e nos faz ver o bem em todos os momentos da nossa vida, mesmo no meio das dificuldades. Quando agradecemos a nossa vida é iluminada pela bondade de Deus, por isso avançamos com a força de Deus. Não ignoramos os problemas, ma não fugimos deles. O Senhor dá-nos serenidade e nós confiamos n’Ele.

A gratidão dá vida porque quando agradecemos temos a consciência clara da Sua Sua presença, do Seu Amora e da Sua Providência Infinita. A gratidão liberta-nos do pessimismo, dá luz à nossa inteligência, ajuda-nos a dimensionar os problemas e faz-nos ver os aspectos positivos que nos ajudam a crescer.

Obrigado Senhor Jesus, porque nos revelaste o rosto amoroso do Pai Celeste que cuida das aves do céu e das flore dos campos e muito mais cuida de nós que somos os Seus filhos. Obrigado, Jesus, Filho muito amado do Pai, que nos vieste iluminar com a Palavra da Vida e libertar-nos das trevas do mundo. Obrigado, Jesus que pela Tua Santa Cruz e pelo Teu Sangue derramado por nos deixastes a prova mais evidente do Amor de Deus. Obrigado, Jesus, que com a Tua morte vencestes a nossa morte e com a Tua Ressurreição nos destes a verdadeira vida. Eu Te agradeço porque com a Tua ressurreição nos fizestes renascer para uma vida nova. Obrigado, Jesus, porque, confiando em Ti, podemos vencer todas as dificuldades da nossa vida. Amén.

A oração de agradecimento é vida porque nos dá a certeza de que Deus está sempre presente e opera na nossa vida. Mesmo nos momentos mais difíceis avançamos confiantes porque Deus está connosco, nunca estamos sozinhos nem abandonados. A certeza de que Deus nos ama e cuida de nós, faz-nos avançar seguros, sem desanimar, confiando serenamente na Sua Providência infinita.

A oração de agradecimento é vida porque nos torna atentos à presença de Deus na nossa vida. Por isso, perseveramos na vivência da nossa fé. Confiamos em Deus que cuida de nós, vivemos tudo na Sua presença.

Pelo agradecimento, Deus torna-se vida em nós: Ele é como o sol que brilha, ilumina o nosso caminho e aquece os nossos corações. A certeza da Sua Presença afasta as antipatias, desbloqueia as situações, mesmo as mais complicadas e torna-nos mais atentos e generosos para com os outros.

A oração de agradecimento dá vida porque nos orienta para Deus, fonte de vida, de alegria de esperança e de paz.

Senhor, a nossa vida neste mundo está marcada pela cruz, mas a Tua cruz ilumina a nossa vida. Obrigado, Senhor Jesus pela Tua Presença consoladora, pela força que me dás para avançar nos momento difíceis e pela coragem em enfrentar as dificuldades da vida. Obrigado Jesus, porque posso confiar em Ti, obrigado por esta capacidade de confiar, que me dá a força de sorrir, de avançar, de dar uma palavra boa, uma olhar de esperança, porque tenho a certeza que Tu estarás sempre comigo. Obrigado Senhor.

Senhor Deus, Uno e Trino, comunidade de Amor Infinito, ensinai-nos a contemplar-Vos na beleza do universo, onde tudo nos fala de Vós. Despertai o nosso louvor e a nossa gratidão, dai-nos a graça de nos sentirmos intimamente unidos a tudo o que existe. (Papa Francisco)

Tudo é dom de Deus

Domingo, Julho 19th, 2020

Deus disse a Abraão: «conta as estrelas do céu se conseguires!» Naquela altura esta afirmação parecia um desafio imprudente. Contudo, já passaram séculos e ainda os homens não conseguiram contá-las. Passou ainda muito tempo, desde que Galileu apontou para o céu o primeiro telescópio e, ainda hoje, mesmo com os meios mais sofisticados, os homens não conseguem contá-las. A Bíblia, portanto, continua a lançar-nos o mesmo desafio: «contem os benefícios de Deus, se forem capazes!».

Tal como é impossível contar as estrelas do céu, também é impossível contar os dons de Deus, pois tudo é dom de Deus. Tudo o que tocamos com as nossas mãos, tudo o que vemos com os nossos olhos, tudo o que ouvimos com os nossos ouvidos, tudo o que conseguimos atingir com os nossos sentidos, tudo é dom de Deus. Tudo o que pensamos, tudo o que passa pela nossa fantasia, tudo é um dom de Deus. O nosso corpo, todas as sua partes e todos os órgãos são dons de Deus. A saúde que temos, o respirar dos pulmões, o bater do nosso coração, tudo é um dom de Deus! Dons que Deus nos concede continuamente e que recebemo com naturalidade, sem quase nos apercebermos.

Senhor, obrigado, pelo dom da saúde, pelo coração que bate sem cessar, pelo sangue que circula e alimenta o corpo todo. Pelo ar que respiro e pela água que bebo. Obrigado por eu falar, ouvir e ver e poder admirar e apreciar a beleza da natureza. Obrigado pelo descanso que restaura as minhas forças, por eu levantar-me, caminhar e trabalhar e pela força de cumprir os meus deveres.Obrigado, Senhor pelo dom da saúde e, também, pela doença, porque faz tudo para o meu bem. Obrigado porque tudo é Dom da Tua Infinita Bondade, que em tudo eu Te possa amar e servir.

Deus abençoa-nos sempre: Ele dá a chuva para os justos e para o pecadores, abençoa o mundo inteiro e acompanha a história com a Sua Infinita Providência. Deus dá sempre com generosidade, dá continuamente e não desiste. Os homens persistente na ingratidão, mas Deus não desiste, mesmo quando exploram os seus dons para satisfazer o egoísmo e para fazer o mal. Deus continua a dar, mesmo quando os homens não pensam n’Ele e quando vivem longe de Deus, como se Ele não existisse. Deus dá porque Ele é Amor e nunca se cansa de abençoar com os Seus dons.

Obrigado, Senhor, pelo dom da vida, que é maravilhoso. É belo viver e contemplar a riqueza infinita da natureza, a vida que desabrocha como um milagre em todos os recantos da terra, a singeleza das flores, a delicadeza das suas pétalas, as gotas de orvalho e chuva que fecundam a terra, a leveza das aves e dos passarinhos, a luz madrugada e o pôr do sol, tudo canta a alegria da vida e a Tua grandeza, Senhor. O Céu e a Terra estão cheios da Tua imensa Glória e cantam a o Teu Infinito Amor.
Obrigado, o Pai, porque o Teu Amor me envolve em todo o lado. Tu continuas a pensar em mim quando eu não penso em Ti e nunca deixas de me abençoar com os Teus dons. Obrigado porque estou vivo, acordei, levantei, caminhei, trabalhei, falei, escutei, observei, encontrei pessoas e ajudei-as e sorrir. Obrigado Senhor, tudo é dom da Tua Bondade.

São grandes os dons de Deus

Quarta-feira, Julho 1st, 2020

Na nossa sociedade, onde a maioria das famílias vivem bem, se alguém oferecer algo a um pobre, por exemplo, um pedaço de pão, ele recebe-o e quase nem agradece. Se agradecer, fá-lo-ia com pouca convicção. Seria diferente se alguém lhe oferecesse uma nota de cem euros.

Se alguém oferecesse um cheque a quem não sabe ler, este agradeceria sim, mas com pouca convicção, como se tivesse recebido um pedaço de pão. Só mais tarde, ao trocar aquele cheque no banco, ele se aperceberia do seu valor real e talvez, voltaria atrás para agradecer com maior entusiasmo.

Nós somos como esse pobre que não sabe ler. Não agradecemos a Deus porque não sabemos reconhecer a beleza e grandeza dos Seus dons. Muitas vezes só os reconhecemos e apreciamos quando os perdemos e, assim, apreciamos o dom da saúde só quando a perdemos e o valor das pessoas queridas só quando morrem.

Oração:
Ensina-me, ó Pai, a reconhecer a beleza a a grandeza dos Teus dons. É verdade, os recebo todos os dias, gratuitamente, sem me aperceber e, infelizmente, poucas vezes me lembro de Te agradecer. Vivo tão distraído e fechado no meu egoísmo que nem sequer os reconheço, ignoro-os completamente. Espírito Santo, abre os meus olhos, ilumina a minha mente, dissipa todas as trevas que me impedem de reconhecer que tudo na minha vida é dom Deus: a família, os amigos, os colegas e todas as pessoas que me ajudaram a crescer; as minhas capacidades, o meu trabalho e tudo o que consigo fazer ou ganhar, tudo é dom de Deus. Envia, Senhor, os Santos Anjos que sem cessar Te louvam a no Céu, e que eu aprenda com eles a louvar-Te e a agradecer-Te, tal como Tu mereces. Senhor Jesus Cristo, manso e humilde, que louvaste o Pai, pelas flores do campo e pelos passarinhos do céu, cura o meu coração para que se encha de amor e gratidão. Amén.

Uma pequena história

Quinta-feira, Junho 25th, 2020

Um dia, uma professora de uma turma da primeira classe de uma escola primária, pediu aos alunos que desenhassem alguma coisa pela qual se sentiam agradecidos. Ela não imaginava que aquelas crianças, de um bairro degradado, pudessem ter alguma coisa para agradecer. Um menino, com grande dificuldade, desenhou uma mão e todos ficaram atraídos e curiosos: o que significa aquela mão? De quem é? Os alunos, deram muitas respostas. Um deles disse: «aquela mão é a mão de Deus porque Deus com as Suas mãos sustenta muitas pessoas». No fim, a professora perguntou àquele menino: «de quem é aquela mão?». A resposta foi a seguinte: «aquela mão é a sua mão, porque a professora me tem ajudado tantas vezes, segurando-me com suas mãos e tem feito a mesma coisa com outras crianças».

A palavra «obrigado» deve entrar e fazer parte do nosso dicionário, deve passar a fazer parte da nossa vida diária. Infelizmente, estamos habituados a enfatizar só as coisas negativas e, por isso, ficamos tantas vezes desconfiados, desanimados e até desesperados. Não conseguimos ver o bem, por isso não agradecemos.

Podemos até ter algum sentimento de gratidão, mas só quando acontece algo de extraordinário e, mesmo assim, o nosso entusiasmo pouco tempo dura. O que prova que quanto mais temos, mais queremos ter e ficamos continuamos sempre insatisfeitos. Por isso não devemos estranhar: os melhores exemplos de gratidão encontram-se precisamente nos pobres, nas pessoas simples e com maior dificuldade.

Jesus, Filho de Deus, por Vós foram criadas todas as coisas. Fostes formado no seio materno de Maria, fizeste-Vos parte da nossa terra e contemplastes o mundo com olhos humanos. Hoje estais vivo em cada criatura com a vossa glória de ressuscitado. Louvado sejais! Espírito Santo, que, com a vossa luz, guiais este mundo para o amor do Pai e acompanhais o gemido da criação, Vós viveis também nos nossos

Agradecer: uma virtude rara

Quarta-feira, Junho 24th, 2020

O Catecismo da Igreja Católica diz que o agradecimento caracteriza a oração da Igreja (2637) porque a Eucaristia é essencialmente acção de graças. Com oração de súplica podemos pedir ao Senhor que nos ajude em qualquer acontecimento ou necessidade, a mesma cosa acontece com a acção de graças. Podemos transformar tudo em acção de graças. São Paulo quase sempre inicia e termina as suas cartas com um agradecendo ao Senhor e convidando os cristãos a agradecer «em todas as circunstâncias, pois é esta a vontade de Deus, em Cristo Jesus» (1 Ts 5, 18); «perseverai na oração; sede, por meio dela, vigilantes em acções de graças» (Cl 4,2)

A gratidão é uma virtude rara. Temos que apreender a agradecer, pois nosso egoísmo e orgulho obscurecem a nossa consciência, vivemos como se tudo nos é devido, ficamos presos na mentalidade consumista que domina a nossa sociedade, queremos cada vez mais, nunca ficamos satisfeitos e, por isso, nunca agradecemos. Recebemos muito e há sempre alguma coisa que nos falta. Vivemos fechados dentro das paredes da nossa autos suficiência e nunca agradecemos.

Esquecemos que recebemos tudo recebemos, nada é nosso! Tudo o que somos e temos, tudo recebemos das Suas mãos. Tudo recebemos, através das mãos dos nossos pais, da nossa família, e de tantas outras pessoas que se sacrificaram por nós. A ingratidão mantém-nos fechados dentro das paredes do nosso egoísmo e nunca ficamos satisfeitos.

Reflictamos agora, basta só um simples exemplo: como é que pagamos aos nossos pais por nos terem dado a vida, por nos terem alimentado, por terem providenciado os nossos estudos e por se terem sacrificado por nós para que nada nos faltasse? O senso do direito e da posse faz-nos perder a consciência dos bens recebidos e da necessidade de agradecer.

Lutamos pelos nossos direitos e nos esquecemos dos nossos deveres e, particularmente da necessidade de agradecer. Será que agradecemos às pessoas que nos ajudaram, que nos fizeram o bem? Será que nos colocamos de joelhos diante do Senhor para lhe agradecer o dom da vida, da saúde, da família e de todos os bens que recebem continuamente das Suas mãos?

Jesus ensinou a agradecer com a história dos dez leprosos que Ele curou. E nós ficamos indignados porque todos foram curados, mas só um deles voltou atrás para Lhe agradecer. E nós, que fomos tantas vezes abençoados por Deus, porque é que não voltamos para Lhe agradecer?

Tudo é dom de Deus. Tudo recebemos das Suas mãos, mesmo aquilo que ganhamos com o nosso trabalho ou que compramos com o nosso dinheiro. Esquecemos que foi Deus que lhe deu saúde, a inteligência e força para o conseguir. Esquecemos de que tudo é dom de Deus. A vida é dom de Deus. Tudo o que temos é dom de Deus, mesmo quando o ganhamos com o nosso trabalho. Quando reconhecemos tudo isso, a nossa vida muda, tornamo-nos humildes e solidários.

Nós Vos louvamos, Pai, com todas as Vossas criaturas, que saíram da Vossa mão poderosa. São vossas e estão repletas da Vossa presença e da Vossa ternura. Louvado sejais! (Papa Francisco)