Archive for the ‘Maria de Nazaré’ Category

Maria, mulher do povo

Quinta-feira, Dezembro 23rd, 2010

Segundo os relatos do Evangelho, Maria‚ é a Senhora que se levanta e caminha. O caminhar de Maria foi sempre a subir. Subiu a monte da visitação, subiu o monte de Jerusalém, subiu o monte Calvário, subiu ao Cenáculo‚ ao segundo andar, esperando a vinda do Espírito Santo. Ela soube sempre, até à sua última subida: a Assunção. Santa Maria do caminho.doc Agora pára, se quiseres, e reza esta oração, para sentires como Maria está tão perto de ti. Quero ser como tu, Maria.doc

Maria viveu na terra, nesta terra. A sua vida foi semelhante a das outras mulheres da altura. A sua vida foi cheia de cuidados e de trabalhos. A sua maneira de viver de Maria é tão próxima da nossa vida diária, das nossa fadigas humanas, das nossas alegrias e angústias. A vida simples e humilde de Maria ajuda-nos a perceber que cada instante da nossa vida, cada gesto, cada acção, por pequeno que seja, é importante para Deus. Maria, mulher como as outras. doc Agora pára, se quiseres, e reza esta oração, para sentires como Maria está tão perto de ti. Maria, Mulher do dia-a-dia.doc

Maria guardava e meditava essas coisas em seu coração (Lc 2, 19). A vida de Maria não foi uma “tournée” turística, onde tudo está previsto. Não, a vida de Maria não foi assim. A Sua vida foi uma peregrinação: sobressaltos, confusão, perplexidade, surpresas, medo, fadiga… mas o que fazia a Mãe, em tais apuros? Ela mesma nos-lo diz: agarrava‑se às palavras do passado, para poder manter‑se de pé. Aquelas palavras eram luz e Ele man­tinha essas lâmpadas sempre acesas: guardava‑as dili­gentemente e meditava-as em seu coração (Lc 2, 19; 2, 50). Maria, Senhora do silêncio.doc Agora pára, se quiseres, e reza esta oração, para sentires como Maria está tão perto de ti. Maria, Senhora-do-silêncio.doc

Maria: a apresentação de Jesus ao Templo

Quinta-feira, Dezembro 23rd, 2010

Deus escolheu o caminho da humildade: o próprio Jesus, «sendo rico, tornou-se pobre, para nos enriquecer com a Sua pobreza». Ele diz-nos: «Quero ser pobre para ser amado», por isso, não encontrou outro caminho para nos ensinar o amor, a não ser o da fraqueza, da pequenez, para que possamos abraçá-Lo, «cuidar» DELE. 03 A apresentação de jesus ao Templo.pps

Maria: o Mistério da Visitação

Quinta-feira, Julho 9th, 2009

A vida humilde e sossegada de Maria foi radicalmente interrompida pelo Anjo da Anunciação. A partir daí, ficou sozinha diante de uma novidade absoluta: deveria tornar-se Mãe do Filho do Altíssimo. Ela pensou em José, seu esposo, nos seus parentes e amigos … como a poderiam? Maria precisava de alguém com quem partilhar seu segredo: as palavras do Anjo, como ela foi escolhida entre todas as mulheres e sua alegria de dizer «sim» a Deus. O próprio Deus, pelo Anjo, oferece a Maria uma amiga humilde e sábia : a sua prima ISABEL. Ela também experimentou a intervenção divina e foi chamada a uma resposta de fé. Maria ensina-nos como é belo dizer «sim». Isabel representa aquela voz amiga qe que todos necessitamos na nossa caminhada. O-misterio-da-visitaçao

Eu sou a Rainha da Família

Terça-feira, Dezembro 30th, 2008

Tudo aconteceu num local chamado Ghiaie di Bonate, muito próximo da terra natal do Papa João XXIII, nos dias entre 13 e 31 de Maio de 1944. O Papa Pio XII corria o risco de ser deportado para a Alemanha. No dia 24 de Abril pediu a todos os fieis oração e penitência para alcançar o dom da paz. Pediu aos pais e aos sacerdotes que levassem as crianças perto do altar de Nossa Senhora oferecendo flores e orações. A Mãe de Deus atendeu o pedido do Papa aparecendo a uma menina de 7 anos de idade, Adelaide Roncalli, que estava a recolher flores para os oferecer no altar de Nossa Senhora. Em 1994, ano internacional da família, em Ghiaie comemorava-se o 50º aniversário das aparições. Para obter informações, clica aqui.

Adelaide Escreveu falando da 2ª aparição: «Nossa Senhora com voz suave repetiu o que me tinha dito ontem “Tu deves ser boa, obediente, respeitosa com o próximo e sincera. Terás muito que sofrer, mas não chores porque um dia estarás comigo no Paraíso”. A seguir afastou-se lentamente, como fez na tarde anterior. Eu sentia uma grande alegria em meu coração pelas poucas palavras de Nossa Senhora e em minha mente estava clara a lembrança da Sua doce presença.

Voltei com minhas colegas para o oratório, quando no meio do caminho encontrei um rapaz, Cândido Maffeis, que me pediu: “Pergunta a Nossa Senhora se eu posso um dia tornar-me sacerdote consagrado a Ela”. Voltei imediatamente ao mesmo lugar e olhei para o alto com a esperança que Nossa Senhora voltasse. Depois de alguns minutos, Ela manifestou novamente a sua linda presença e apresentei-lhe o pedido de Cândido. Com voz suave a maternal, respondeu: “Sim, ele se tornará sacerdote missionário conforme o meu Coração, após o término da guerra». Em seguida, desapareceu lentamente.

Testemunho de Padre Cândido Maffeis

Cândido Maffeis, entrou no Seminário dos Missionários de Maria e foi ordenado sacerdote em Roma, na festa de São José, em 19 de Março de 1959, foi um grande sacerdote consagrado totalmente ao Coração Imaculado de Maria. Faleceu em 1995. Ele mesmo escreveu o seguinte testemunho:

“Desde criança tive vontade de consagrar-me totalmente ao Senhor pelas mãos de Maria, mas aguardava um sinal de Deus. Nunca duvidei desse chamado. Tinha certeza de que Deus me tinha escolhido. Desde criança o meu pensamento e a minha conduta estavam voltados à vida sacerdotal. Quando cheguei a saber que a menina Adelaide conversava com Nossa Senhora, pensei que Ela sabia da minha vocação e quis ter uma confirmação por parte dEla. Dirigi-me a Ela para certificar-me da minha vocação. Pedi essa confirmação. Lembro-me de como Adelaide entrou em êxtase. Eu estava ajoelhado e ela estava sobre o carrinho. Eu tinha o Terço no bolso e coloquei-o em suas mãos postas para a oração. Juntos rezamos algumas Ave-Marias e a Salve-Rainha. Em seguida, Adelaide disse-me que Nossa Senhora estava ali diante de nós. Eu pedi para ela perguntar a Nossa Senhora se o meu caminho era a vida sacerdotal. Ela respondeu que sim. Pela primeira vez vi que Adelaide fixava seu olhar em uma determinada altura, que correspondia ao centro do ramo florido do sabugueiro. Não mexia os olhos, só movia os lábios para falar, mas eu não escutava nada. Reparei, pelos movimentos dos lábios, que havia ocorrido uma pergunta e uma resposta.

Eu continuava a dizer-lhe: «Fala para Ela». Adelaide, acenando com a cabeça, confirmava ter ouvido. Disse-me “Nossa Senhora está aqui e está a sorrir para ti”. Essas foram as únicas palavras que entendi. Depois vi Adelaide dar um grito de dor e colocar suas mãozinhas no rosto. Em seguida, voltou a ficar tranquila.

Quando a visão terminou, Adelaide ficou triste por alguns instantes, um pouco fora de si. Com suas mãozinhas, mexeu nos olhos, olhou para mim e sorriu. Perguntei o que havia acontecido quando dera o grito de dor e encobrira o rosto. Ela respondeu: «Não posso falar». E nunca me falou, embora eu tivesse perguntado várias vezes.

Quando entrei no seminário para realizar a minha vocação sacerdotal, não faltaram as dificuldades, mas tudo venci com a oração. Nossa Senhora forma os seus predilectos, os sacerdotes, ajudando-os a percorrer a subida do Calvário. E a Mãe Piedosa e Dolorosa que conduz seus filhos predilectos pelo caminho do Calvário para colocá-los sobre a Cruz. Todo sacerdote é outro Jesus. Maria quer torná-los semelhantes ao Seu Filho. Ela salvou muitas vezes a minha vocação; se hoje eu sou Padre, é um dom todo especial de Maria. Foi Ela quem preparou todos os acontecimentos e com Suas mãos poderosas me levou para o Seu Coração Imaculado.

«Você se tornará sacerdote conforme o Meu Coração.» Mais tarde entendi essa resposta que deu para Adelaide. Hoje sinto-me forte e seguro dentro do Coração Imaculado de Maria. Todas as dificuldades e as cruzes que surgiram no meu caminho para o sacerdócio eu as superei olhando para o Coração de Maria. Senti muito forte Sua protecção e predilecção. Nossa Senhora faz questão de formar os seus predilectos, os sacerdotes, e torná-los Santos. Um verdadeiro sacerdote é sempre uma obra-prima de Maria. É necessário que se faça adoração contínua e incessante a Jesus Eucarístico.

Tenho absoluta certeza que essas aparições são verdadeiras. Eu sempre experimentei a protecção de Nossa Senhora em minha caminhada sacerdotal. Quando ingressei na Congregação dos Padres do Coração de Maria, experimentei como o Maligno tentava me desanimar para que eu saísse do seminário, e os meus superiores queriam mandar-me embora.

Não gostava do ambiente do seminário, não conseguia alimentar-me e emagrecia. Pedi para visitar Nossa Senhora em Ghiaie di Bonate quando Ela me disse: «Aonde vai? Eu estou aqui contigo». Colocou Suas mãos sobre a minha cabeça e disse: «Volta a brincar e a comer, pois tu estás curado». Ela sempre estava perto de mim para encorajar-me. Eu era muito alegre e extrovertido, não combinava com o ar tristonho do ambiente em que vivia.

Sentia essa alegria vibrar em meu coração, que se manifestava com grandes risadas. Os meus superiores não gostavam e me impediam de receber as ordens menores, enquanto aqueles que tinham uma atitude mais severa e tristonha foram aprovados. Esta foi uma grande provação. Então Nossa Senhora me disse: «Você será o meu sorriso». O meu apostolado devia ser o do sorriso. Sempre tive a certeza que Nossa Senhora me acompanhava e me carregava em Seus braços.

Lembro-me deste episódio triste de minha vida. Estava em Roma, no dia 21 de Janeiro de 1960, muito doente: tinha duas úlceras perfuradas. Os médicos me disseram: «Você tem somente uma hora de vida. Se quiser, faremos a operação, mas não garantimos êxito». Invoquei Nossa Senhora de Ghiaie. Sorrindo, respondi: «Nossa Senhora consentiu. Façam a operação». Eu fiquei bom.

Cinquenta anos após as aparições, vejo como Ela me protegeu na caminhada sacerdotal e tenho certeza que Maria colocará tudo às claras, porque muitas pessoas deturparam Suas mensagens com ideias e métodos desumanos e partidários que confundiram as almas mais humildes e simples.

Pessoalmente vi milagres e pessoas agraciadas. Sempre acompanhei os eventos com muita fé e alegria no coração. A autoridade eclesiástica mandou calar os simples de coração e castigar Nossa Senhora porque não falava as mesmas palavras dos doutos e sábios eclesiásticos. Em vez de aprender d’Ela a bela lição de amor, preferiram mandá-La calar”. (cfr. Pe. Vincenzo Savoldi, Eu Sou a Reinha da Família, São Paulo, SP, 1999, pp. 20-23)

Maria: dizer “sim” a Deus

Quinta-feira, Novembro 13th, 2008

Não há outro ser humano em que podemos ver o que significa “receber o amor de Deus” em plenitude como em Maria. Este Deus “que tanto amou o mundo até dar-lhe o Seu Filho”. A presença do Espírito Santo o é o segredo íntimo de Maria. Por isso, o Anjo chamou-a «cheia de graça»: Maria-dizer-sim-a-Deus